Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

22 Outubro de 2009 | 20h05 - Actualizado em 22 Outubro de 2009 | 20h04

Biografia política de Carlos Veiga será lançada sexta-feira

Cabo Verde

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Cidade da Praia - O professor universitário português, Nuno Manalvo, lança sexta-feira, na Cidade da Praia, um livro que constitui uma biografia política de Carlos Veiga, actual líder da oposição em Cabo Verde. 

 
"Carlos Veiga, O Rosto da Mudança em Cabo Verde", publicado pela editora portuguesa Alétheia, será apresentado na Biblioteca Nacional da capital cabo-verdiana e, nele, Nuno Manalvo considera o antigo primeiro-ministro (1991/2000) como o "pai da fundação da democracia" no arquipélago. 

 
Segundo o autor, o livro é um "trabalho de investigação científica", isento e com a distância recomendada perante o objecto de estudo", mas centrado apenas em torno da história política recente de Cabo Verde. 

 
Nuno Manalvo define Carlos Veiga como "um político moderno" e com uma visão do mundo "que não é habitual em líderes africanos", considerando-o um "embaixador da democracia no continente que mais dela necessita e dela tem falta".
 
 
Com este livro, o autor disse pretender traçar a "vida política do homem que esteve na génese da democracia em Cabo Verde", que liderou na primeira década de abertura política do país, a partir de 1991, e que a "honrou" pela forma como saiu da cena política nacional. 

 
Carlos Veiga chefiava o governo cabo-verdiano desde 1991 quando, em 2000, a um ano das presidenciais, entregou o governo a Gualberto do Rosário, para se candidatar a chefe de Estado, que viria a perder para Pedro Pires, o actual presidente que viria a derrotá-lo novamente nas eleições de 2006, abandonando, depois, a vida política activa. 

 
Porém, em Maio último, Carlos Veiga regressou à política e, após meses de negociações internas, tornou-se o único candidato à sucessão de Jorge Santos à frente do MpD, vencendo as eleições directas para a liderança do partido a 11 deste mês.


Veiga assegurou a chefia desde a fundação da segunda maior força política do país (em 1990) até apresentar a sua primeira candidatura às presidenciais (em 2000).