Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

16 Abril de 2010 | 11h53 - Actualizado em 17 Abril de 2010 | 09h30

Início da contagem dos votos que deve levar vários dias

Sudão/eleições

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar


Cartum - A contagem dos votos no termo das eleições legislativas, regionais e presidenciais, começou hoje (sexta-feira) no Sudão, o maior país de África, e deve levar  vários dias.

Numa cabine de votação do bairro Amarat de Cartum, seis empregados da comissão eleitoral nacional (NEC) abriram as primeiras urnas às 08h30 locais, segundo um jornalista da AFP no local.

Primeiramente, os empregados verificaram de forma minuciosa o estado destas urnas de plástico e dos  seus números de registo.

Na sala de aulas, onde se encontra este centro de votação, a primeira urna aberta foi a ligada às eleições do executivo (presidenciais e governo de Cartum).

Os boletins foram depositados numa grande mesa, em duas pilhas. Um responsável  começou a contagem em voz alta, sob o olhar atento de observadores locais e de responsáveis de diferentes partidos políticos.

O conjunto dos resultados no país deve ser conhecido terça-feira.

O Sudão conheceu de 11 a 15 de Abril as suas primeiras eleições multipartidárias perto de um quarto de século, uma votação marcada por importantes problemas logísticos que  forçaram o NEC a estender a duração da votaçao de três para cinco dias.

As presidenciais nacionais deverão reconduzir ao poder o presidente Omar el-Béchir, a procura de legitimidade popular perante as perseguições da justiça internacional por crimes de guerra e crimes contra a humanidade em Darfur, uma região do oeste sudanês em guerra civil.

Vários partidos da oposição boicotaram a votação. Os ex-rebeldes sudistas anunciaram por seu lado antes das eleições que boicotavam as presidenciais nacionais bem como todo o processo no Norte.