Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

06 Julho de 2010 | 16h16 - Actualizado em 06 Julho de 2010 | 16h56

CPLP "mais-valia" para defesa de interesses individuais e colectivos

Cabo Verde

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Logotipo da CPLP

Cidade da Praia - O Presidente da República portuguesa, Cavaco Silva, defendeu hoje(terça-feira) que a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) constitui "uma mais-valia" para os Estados que a integram e a melhor forma de defender os seus interesses individuais e de conjunto.  
  
   

"A CPLP, que vai ter a sua cimeira em breve em Luanda, é uma mais-valia para todos os oito países da comunidade, porque neste tempo global é preciso juntar esforços para defender os interesses de cada um e os interesses do conjunto", sublinhou, no final de um encontro com o seu homólogo cabo-verdiano, no âmbito da visita de Estado de dois dias que hoje iniciou à Cabo Verde. 
  
   

Antes, ao ser agraciado com o primeiro grau da Ordem Amílcar Cabral (a mais elevada condecoração do país), Cavaco Silva aludiu à determinação dos dois países no "fortalecimento da CPLP" e na convicção acerca do "valor estratégico" da instituição para responder aos desafios actuais e como "instrumento da promoção da paz, da democracia e da estabilidade" dos Estados que a integram. 
  

"A presidência portuguesa da CPLP tem contado com o firme apoio de Cabo Verde na prossecução do seu programa e, em particular, no que respeita ao objectivo central da valorização e afirmação internacional da língua portuguesa. Um objectivo ao qual a próxima cimeira da CPLP, em Luanda, irá conferir novo impulso através da adopção do Plano de Acção para a promoção, difusão e projecção internacional do português", observou. 
 

Após a condecoração no palácio presidencial -- um "gesto de grande alcance político", como referiu -, Cavaco Silva enalteceu depois as "relações bilaterais excelentes" entre os dois países, consubstanciada na assinatura de um tratado de amizade e cooperação e na realização de cimeiras bilaterais, bem como no investimento de empresas portuguesas na economia local.  
    

"É uma imensa satisfação regressar a Cabo Verde. Já estive pelo menos cinco vezes em Cabo Verde e não apenas como agente político, estive aqui também como professor de Economia. Venho a Cabo Verde desde os anos 80 e portanto posso testemunhar o progresso que esta nação conseguiu alcançar ao longo dos seus 35 anos de independência", comentou.  
 

O Presidente cabo-verdiano, Pedro Pires, realçou também as "relações excelentes" entre Portugal e Cabo verde, bem como a "confiança" evidenciada pelas empresas portuguesa nas instituições cabo-verdianas e na economia do país.  
 

Após o encontro com o seu homólogo cabo-verdiano e da participação numa sessão solene especial na Assembleia Nacional do país, Cavaco Silva recebeu as chaves da cidade da capital ao país e  se avistou com o chefe de Governo, José Maria Neves. 
 

Na ocasião foi assinado na presença dos dois responsáveis políticos um protocolo entre a AICEP Global Parques e a Cabo Verde Investimentos, que tem por objecto a prestação de serviços para o desenvolvimento e instalação no país de parques industriais e logísticos.  
 

À tarde, o chefe de Estado português participa na cerimónia de inauguração de uma filial do Banco Espírito Santo.