Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

26 Agosto de 2010 | 13h08 - Actualizado em 26 Agosto de 2010 | 13h12

Presidente sul-africano termina visita à China

África do Sul

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

PR Jacob Zuma

Shanghai - O presidente sul-africano, Jacob Zuma, visitou hoje (quinta-feira) a Exposição universal de Shanghai, no âmbito da sua visita de Estado de três dias à China que permitiu a assinatura de uma dúzia de contratos entre os dois países.

"Estou muito feliz em ter a ocasião de estar presente nesta exposição, cuja realização coincidiu com a nossa visita oficial à China, a qual foi coroada de sucessos e que termina  hoje (quinta-feira)", declarou Zuma no pavilhão sul-africano da Exposição.

A visita do presidente sul-africano à China, acompanhado de uma importante delegação de 350 homens de negócios, foi dominada pelos projectos de reforço da cooperação entre o gigante asiático e a primeira economia de África.

Uma dúzia de acordos foram assinados entre empresas chinesas e sul-africanas nos sectores dos caminhos de ferro, da energia, da energia nuclear, da construção e obras públicas, das minas, dos seguros e das telecomunicações.

O ministro sul-africano do Comércio, Rob Davies, rejeitou toda ideia de neocolonialismo sobre a grande presença de empresas chinesas no continente, já que Pequim é frequentemente criticada pela sua cooperação com vários países africanos.

A expansão chinesa "só pode ser uma boa coisa", porque vai reforçar a competição pelos recursos do continente, declarou Davies ao jornal Financial Times. "Não nos forçamos a pôr a nossa assinatura na parte inferior dos textos que nos são apresentados; temos
soluções alternativas e isso é bom para nós", prosseguiu o ministro.

A China se tornou no ano passado o primeiro mercado das exportações sul-africanas, que são constituídas sobretudo de matérias primas.

Davies declarou aos homens de negócios que deseja que no futuro, as exportações do seu país sejam constituídas mais de produtos de grande valor acrescentado.