Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

12 Março de 2012 | 12h32 - Actualizado em 12 Março de 2012 | 13h35

13 de Março declarado Dia nacional do "Cyber"

Tunisia

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira da Tunísia


Tunis - A Tunísia decretou o 13 de Março "Dia Nacional de Cyber-" para prestar homenagem o ciber-dissidente tunisino, Zouhair Yahyaoui, uma vítima do antigo governo, falecido  a 13 de Março de  2005, como resultado de um ataque cardíaco aos 36 anos, anunciou a AFP.


Presidente tunisiano Marzouki avi anunciar oficialmente terça-feira o dia nacional de Cyber e condecorar a família Yahyaoui.


"Estou satisfeita que o Governo tenha lembrado do meu filho e, finalmente, o seu país prestar-lhe homenagem, estou orgulhosa do sacrifício de Zouhair que tinha apenas um sonho: ver a Tunísia livre e democrática", disse a AFP, Khadija, sua mãe.


"O meu filho quase não dormia, permanecia muito tempo no seu computador para denunciar abertamente a corrupção e a repressão do antigo governo de Zine El Abidine Ben Ali", disse.


"É o mínimo que podemos fazer por ele. Zouhair merece uma homenagem a nível internacional, uma vez que foi o primeiro internet a ser torturado", disse sua irmã Kalthoum.


A família Zouhair sofreu vários anos de repressão do deposto presidente Zine El Abidine Ben Ali. As suas cinco irmãs e dois irmãos haviam sido proibidos de trabalhar, disse Yahyaoui.


Fundador de uma satírica online "TuneZine" e escrevia sob o pseudónimo de "Ettounsi" (A Tunísia), Zouhair foi o primeiro a publicar uma carta a Ben Ali denunciando a administração da justiça.


Ele foi condenado em 2002 a dois anos e seis meses de prisão onde foi torturado várias vezes. O dissidente teve três greves de fome para protestar contra suas condições de detenção.


Lançado no final de 2003, ele morreu de um ataque cardíaco a 13 de Mrço, 2005.


Os repórteres da Organização Mundial Sem Fronteiras (RSF) havia feito  proposta para Yahyaoui ser seu correspondente na Tunísia. O jovem já havia vencido em Paris em Junho de 2003  o Prémio Cyber-Freedom.