Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

07 Maio de 2012 | 16h47 - Actualizado em 07 Maio de 2012 | 16h47

Ministério da Educação reintroduz ensino pré-escolar

Moçambique

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Chimoio - O Ministério de Educação (MINED) de Moçambique vai reintroduzir em 2013 a educação pré-escolar para superar a fraca qualidade no ensino primário e facilitar o alcance dos Objectivos do Milénio, soube hoje (segunda-feira) à Lusa fonte oficial. 

 
O vice-ministro da Educação moçambicano, Augusto Luís, disse em Gondola, Manica, centro de Moçambique, que a estratégia, já encaminhada para o Conselho de Ministros, deverá, numa fase piloto, abranger 10 distritos das províncias de Maputo e Gaza (sul), Tete (centro) e Nampula e Cabo-Delegado (norte).


 
"Vamos reintroduzir a pré-escola para socializar o ensino, para que o aluno entre no ensino primário com uma base, de identificar letras e sons", disse à Lusa Augusto Luís, para quem, até 2015, todas as crianças devem ter oportunidade de concluir uma educação básica de qualidade. 


 
A definição da Estratégia Nacional Holística do Desenvolvimento Integral da Criança em Idade Pré-escolar "é prioritária para a socialização da criança e para que desenvolva a linguagem, alicerçando os pressupostos necessários para enfrentar, com sucesso, todas as fases subsequentes de aprendizagem", disse.
   
 
Ainda segundo o governante, em paralelo está previsto o aumento da rede escolar por via de programa de construção acelerada, gestão escolar, expansão de ensino bilingue, saneamento e saúde escolar, além da promoção de ingresso no ensino na idade certa. 

 
Ainda no quadro da melhoria de ensino, o MINED introduziu em 2011 o "Provinha" para testar a leitura das crianças no ensino primário na capital do país, Maputo, estando prevista a sua expansão para as províncias devido aos bons resultados da estratégia. 

 
Reconhecendo os desafios do cumprimento dos Objectivos do Milénio, Augusto Luís disse que várias estratégias estão a ser desenhadas ao nível do seu ministério para cortar as disparidades regionais de acesso ao ensino, de idade e de género e introduzir iniciativas que assegurem a participação dos mais vulneráveis. 


 
"É grande desejo, mas também é um desafio com muitos problemas garantir que todas as crianças com idade escolar ingressem no ensino até 2015, sabendo que os números são desafiadores. Mas estamos no caminho, ao passarmos de um milhão de crianças (1994) para seis milhões (em 2012)", disse Augusto Luís. 

 
 
O MINED reuniu os seus quadros em Manica para avaliar a aplicação das estratégias de educação inclusiva, formação de professores e ensino primário, esta última sob o lema "aprender a ler e escrever para saber mais".