Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

04 Dezembro de 2015 | 17h19 - Actualizado em 04 Dezembro de 2015 | 19h12

Egipto: Novo balanço eleva para 16 número de mortos no ataque com coquetel molotov

Cairo - Pelo menos 16 pessoas morreram nesta sexta-feira no Cairo num ataque com coquetel molotov contra uma casa nocturna, que acabou se incendiando, anunciaram as autoridades que favorecem a hipótese de um confronto de fregueses.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

MAPA DO EGIPTO

Foto: ANGOP

A polícia lançou uma caça para encontrar os responsáveis pelo ataque, que fugiram e que ainda não foram identificados.

"Dezasseis pessoas morreram e três ficaram feridas no incêndio declarado numa discoteca no distrito de Agouza (centro do Cairo), depois que coquetéis molotov foram lançados contra o estabelecimento", indicou o ministério do Interior em comunicado.
               
"A investigação preliminar realizada pelos serviços de segurança apontam para uma luta entre funcionários e outras pessoas que, em seguida, lançaram as garrafas incendiárias na discoteca para se vingar", acrescentou.

O ministério do Interior não especificou quem era essas "pessoas", mas um oficial da segurança havia evocado uma briga pessoal entre os funcionários da discoteca "Al-Sayyad" e jovens frequentadores deste estabelecimento.

A polícia não confirmou as informações da imprensa segundo as quais os agressores, cujo número não for especificado, estavam mascarados e em motos.
               
Os bombeiros conseguiram controlar o fogo, que não se espalhou para edifícios vizinhos. A fachada e o interior do estabelecimento ficaram completamente carbonizados, de acordo com um correspondente da AFP no local.

A polícia isolou o local e os investigadores procedem com a investigação.
É muito raro um ataque deste tipo visar uma casa nocturna no Cairo, mesmo que as brigas sejam regulares entre as pessoas que frequentam esses estabelecimentos.
             
Na década de 1990, em plena onda de violência de grupos islâmicos, algumas discotecas tinham sido alvos de ataques.

Assuntos Egipto  

Leia também