Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

11 Junho de 2016 | 23h41 - Actualizado em 11 Junho de 2016 | 23h41

Shabaab diz ter executado quatro espiões

Mogadiscio - O grupo militante somali Al-Shabaab pode ter executado esta semana quatro pessoas acusadas de espionagem, incluindo um indivíduo, que alegadamente fornecia aos Estados Unidos da América informação que levou à morte do antigo líder do grupo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O grupo islamista luta para derrubar o governo, que tem apoio internacional e governar o país segundo a lei islâmica da sharia.

Em 2011, o Al-Shabaab foi obrigado pela força da União Africana (AMISOM), a abandonar Mogadiscio, a capital do país, e ano passado foi também afastado dos seus bastiões no sul da Somália, por um combinado da AMISOM com o exército somali.

Contudo, nos últimos meses o grupo incrementou os ataques contra as forças da AMISOM e realizou incursões usando armas de fogo e bombistas suicidas contra alvos civis em Mogadiscio e outras cidades.

Segundo a rádio do al-Shabaab, Al Andalus, os quatro executados foram condenados à morte na tarde de sexta-feira “depois de se provar que trabalhavam com a CIA, Quénia e Somália.”

“Foram executados em público num acampamento na região de Bula Fulay,” reportou Al Andalus, referindo-se a uma zona no sul da Somália.

Ahmed Nur, um residente local, disse à Reuters ao telefone que as pessoas na zona foram convocadas pelo Shabaab para se juntarem perto do seu acampamento.

“Pensámos que havia algum comício, mas vimos três homens serem mortos a tiro e um outro ser decapitado na nossa presença,” disse.

Segundo a rádio, o homem decapitado era Mohamed Aden Nur, de 26 anos, que foi acusado de “trabalhar com a CIA” e de facilitar a morte do antigo lider do al-Shabaab, Ahmed Godane, que foi morto num ataque por um drone norte-americano em 2014.

Um outro dos executados, Muhaudin Hiraab Ahmed, de 27 anos, foi acusado de espiar a favor da CIA e do Quénia, vizinho da Somália, e de ajudar a matar Adnan Garaar.

Garaar, que alegadamente planeou o mortífero ataque ao Westagte Mall em Nairobi, a capital do Quénia, em 2013, foi também morto num ataque por um drone norte-americano em 2015.

Assuntos Terrorismo   África  

Leia também
  • 11/06/2016 23:41:23

    Forças líbias ?recapturam Porto? em Sirte

    Tripoli - As forças aliadas ao Governo de Unidade na Líbia disseram este sábado ter recapturado do Estado Islâmico o porto de Sirte, bastião dos jihadistas, que se encontram sitiados dentro da cidade.

  • 11/06/2016 23:40:56

    ONU pede mobilização mundial contra Boko Haram após ataque no Níger

    Niamei - O coordenador humanitário das Nações Unidas no Níger, Fodé Ndiaye, pediu à comunidade internacional, neste sábado, que mobilize seus recursos diante da crise resultante do maciço ataque do Boko Haram a Bosso, no sudeste do Níger.

  • 11/06/2016 23:40:19

    Quatro mulheres são degoladas em ataque do Boko Haram na Nigéria

    Nigéria - Quatro mulheres foram degoladas em uma cidade do nordeste da Nigéria por militantes do Boko Haram - informaram, neste sábado, milicianos que lutam contra esses rebeldes islamitas no país.