Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

17 Maio de 2017 | 10h55 - Actualizado em 17 Maio de 2017 | 10h55

Moçambique: MEM com defícit 700 mil carteiras escolares

Maputo - O Ministério moçambicano da Educação e Desenvolvimento Humano necessita de mais de 700 mil carteiras para reduzir o défice deste mobiliário escolar no país para cerca de três milhões de crianças que actualmente estudam sentadas no chão, informou a Rádio Moçambique.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A titular do pelouro, Conceita Sortane, disse à Rádio Moçambique que o sector prevê entregar este ano cerca de 700 mil carteiras.

“Neste temos um grande apoio material que nos vai ser entregue para diminuir o deficit de carteiras em todo o país, no âmbito do "programaTronco".

A “Operação Tronco” insere-se numa parte madeira já declarada para ser entregue ao Ministério da Educação, para cobrir este défice, que é de setecentos e noventa e oito mil e novecentos e trinta e seis carteiras”, disse a ministra.

Para Sortane, com esta cobertura cerca de 3.995.744 alunos do ensino geral deixão o chão para se sentar em carteiras.

Em Março do corrente ano, o Governo lançou a “Operação Tronco”, um mecanismo de reforma para avaliar o grau de cumprimento da Lei de Florestas, bem como verificar o registo de exportações de madeira no terreno.

A Operação decorre nas províncias nortenhas de Cabo Delgado e Nampula, e nas centrais da Zambézia, Tete, Manica e de Sofala, por serem consideradas maiores exploradoras de madeira no país.

Segundo o Governo, fora já reendidas, no âmbito da “Operação Tronco”, mais 150 mil metros cúbicos de madeira valiosa, e arrecadado cerca de 157 milhões de meticais (2.556.839 dólares norte-americanos) em multas.

Adiantou que fiscalizou mais de 120 estaleiros, a escala nacional, dos quais 75 por cento apresentaram irregularidades.

Assuntos Educação  

Leia também