Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

11 Agosto de 2017 | 10h43 - Actualizado em 11 Agosto de 2017 | 10h43

Mauritânia: Ex-senador mauritaniano proibido de sair do país

Nouakchott - Mohamed Ould Ghadda, membro do Senado suprimido na sequência do referendo constitucional de 05 de Agosto, na Mauritânia, foi proibido quinta-feira de sair do território nacional, relatam várias fontes concordantes.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

mapa da Mauritânia

Foto: Angop

O ex-senador apresentou-se à estação de Rosso para viajar para o Senegal e foi impedido pela Polícia Fronteiriça, sem explicações oficiais.

Mohamed Ould Ghadda dirigia uma comissão da antiga Alta Câmara do Parlamento encarregue de realizar um inquérito sobre contratos por ajuste directo atribuídos a personalidades supostamente próximas do governo do presidente Mohamed Mohamed Ould Abdel Aziz.

O responsável tinha sido detido no início de Maio, na sequência de um acidente de viação no eixo Nouakchott/Rosso.

Os dados pessoais do seu telemóvel então confiscados foram publicados na imprensa e nas redes sociais, revelando as suas relações com o banqueiro Mohamed Bouamatou, refugiado em Marrocos há vários anos.

O ex-senador nunca negou tal relacionamento, colocando-o "num quadro normal e perfeitamente legal".

Mohamed Ould Ghadda é o principal instigador da revolta dos senadores contra a supressão da Alta Câmara do Parlamento mauritaniano.

Assuntos Mauritânia  

Leia também