Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

13 Outubro de 2017 | 13h13 - Actualizado em 13 Outubro de 2017 | 13h13

Ghana: Governo reforça segurança dos postos de combustível após explosões

Accra - O governo ghanense anunciou o encerramento das bombas de combustível consideradas de alto risco após a explosão de duas delas, que deixaram sete mortos e 132 feridos no último fim-de-semana, em Accra.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Mapa do Ghana.

Foto: Divulgação

Um incêndio deflagrou sábado à noite num camião que transportava gás natural no bairro de Legon, capital ghanense. O fogo espalhou-se para duas estações de combustíveis próximas, uma das quais de gás liquefeito, causando explosões em série.

A presidência ghanense registou nove incidentes semelhantes em três anos. O mais mortífero ocorreu em Junho de 2015, quando mais de 150 pessoas morreram.

Os ministros, que se reuniram quinta-feira em conselho semanal, discutiram as medidas a serem tomadas e aplicadas para garantir a segurança dos funcionários e do público.

"Os postos de combustível que preenchem as modalidades fixadas serão consideradas de alto risco e serão imediatamente encerradas, sem desculpas nem condições", segundo um comunicado publicado após a reunião.

Após o incidente, os ghanenses expressaram a sua fúria nas redes sociais, criticando a perigosidade das bombas de combustível, muitas das quais localizadas em zonas residenciais, perto de escolas, de hospitais e de lojas.

Uma petição online endereçada ao presidente Nana Akufo-Addo exigindo uma regulamentação mais rigorosa e inspecções das instalações foi elaborada na sequência do incidente e assinada por mais de 15 mil pessoas.

Na última proposta do governo, estará proibido encher botijas de gás nas estações de combustíveis próximas das zonas residenciais.

A Agência Nacional de Hidrocarbonetos tinha feito declarações semelhantes em Maio e foi orientada para inspeccionar as bombas em todo o país para que cumpram as leis já em vigor.

A agência será apoiada por uma força de segurança que entrará em funções nos próximos 30 dias, advertiu o governo, que garante que "a segurança dos cidadãos é o seu principal objectivo e que o presidente tomará todas as medidas necessárias sobre este assunto".

Assuntos Ghana  

Leia também