Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

07 Dezembro de 2018 | 10h05 - Actualizado em 07 Dezembro de 2018 | 10h05

RDC/Eleição presidencial: Três candidatos destacam-se do lote de vinte e um

Kinshasa - Félix Tshisekedi (UDPS) e Martin Fayulu (ECIDÉ), ambos da oposição, e Emmanuel Shadary Ramazani (FCC), são os três candidatos que sobressaem na campanha eleitoral para a eleição presidencial prevista para o dia 23 de Dezembro de 2018, dos 21 que a CENI aprovou.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

MAPA DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO

Foto: ANGOP

Nos últimos dias, Tshisekedi, apoiado por Vital Kamehere, com o qual criou a coligação Preparação para a Mudança (CACH) desenvolve a sua campanha no Leste da República Democrática do Congo (RDC), particularmente nos Kivu Norte e Sul, onde está a ser recebido apoteoticamente.

Um despacho da Reuter datado de quarta-feira indica que em Goma, o duo Tshisekedi-Kamehere organizou um comício popular que congregou mais de 200 mil pessoas.

O Mesmo aconteceu quinta-feira, em Bukavu, onde os dois políticos conseguiram juntar dezenas de milhares de pessoas.

Dados eleitorais da CENI indicam que o Kivu-Norte tem 10% dos mais de 40 milhões de eleitores da RDC.

O sucesso disso deve-se ao facto de Kamehere, antigo presidente da Assembleia Nacional, de 2007 a 2009, ser filho da região, e de na RDC, o voto ter um acentuado pendor tribal.

Segundo o pacto do CACH, se Félix ganhar a Presidência, Vital Kamehe será o primeiro-ministro da RDC.

Uma das suas promessas consiste em transferir o Governo em Goma, caso for eleito.   

Os passos do CATCH estão a ser seguidos por Martin Fayulu, candidato da plataforma LAMUKA (Acorda), criada a 11 de Novembro último, e apoiada por Jean-Pierre Bemba; Moise Katumbi, Adolphe Muzito e Freddy Matungulo.

De acordo com a imprensa congolesa, quinta-feira, Martin Fayulu esteve em Beni, onde recebeu um banho de milhares de pessoas que o apoiam, e que prometeram vota-lo.

Apesar do ataque da ADF-NALU que ocorreu a oito quilómetros do local do comício, que matou pelo menos 10 pessoas e da epidemia do Ebola, a população respondeu massivamente ao apelo de Fayulu, refere o jornal congolês online 7sur7.CD.

 Recorde-se que Fayulu é o candidato escolhido em Genebra pela plataforma LAMUKA, com a mediação da Fundação Kofi Anan, cujo acordo foi denunciado, 24 horas depois, por Tshisekedi e Kamehere, que criaram o CACH.

Originário da antiga província do Bandundu (Oeste), Fayulu prometeu recentemente em Kinshasa que se for eleito, mconstruiria uma grande base militar em Beni, para reforçar a segurança da região.

Por seu lado, depois da sua campanha na antiga província do Equador, nomeadamente em Gbadolite; Gemena, Bumba e Lisala

Emmanuel Ramazani Shadary, candidato da plataforma FCC, liderada pelo Presidente cessante, Joseph Kabila, esteve em Kananga, capital da província do Kasai central.

Naquela provincial, Shadary, antigo ministro do Interior durante a Guerra com as milícias Kamwina Nsapu, deparou-se com uma manifestação que visava perturbar o seu comício.

Embora tenha conseguido falar aos militantes do FCC, a sua presença foi considerada indesejável pelos membros da oposição e seguidores de Kamwina Nsapu.

O Kasai Central aglutina 4% dos eleitores congoleses.

No dia 23 de Dezembro terão lugar as eleições provinciais, presidencial e legislativas.

Assuntos RDCongo  

Leia também