Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

17 Maio de 2018 | 08h59 - Actualizado em 17 Maio de 2018 | 08h58

Egipto: Embaixada americana em Jerusalém afecta a causa palestiniana

Cairo - O Presidente do Egipto, Abdel-Fattah Al-Sissi, disse quarta-feira, no Cairo, que a transferência da Embaixada dos Estados Unidos, em Israel, de Tel Aviv para Jerusalém, terá efeitos negativos na causa do povo palestino.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Abdel Fatah al Sissi, Presidente do Egito

Al-Sissi fez essa declaração, quando pronunciava um discurso televisivo, por ocasião de uma conferência sobre a juventude.

Para o Presidente egípcio, a decisão americana vai desestabilizar a região.

Segunda-feira, os Estados Unidos transferiram a sua Missão diplomática, em Israël, de Tel Aviv para Jerusalém, seis meses depois do Presidente dos Estados Unidos reconhecer a cidade de Jerusalém como capital de Israël.

Pelo menos 63 palestinos foram mortos e 2.800 ficaram feridos, na Faixa de Gaza, nos dois dias de confrontos entre as forças israelitas e manifestantes palestinos, que protestavam contra a instalação da Embaixada americana, em Jerusalém, vila que os palestinos querem fazer da sua parte oriental, a capital do seu futuro Estado.

Al-Sissi revelou que o seu país está em contacto com as partes palestinas e israelita, para acabar com o banho de sangue.

O Egipto abre frequentemente o posto fronteiriço de Rafah, entre O Egipto e Gaza, com vista a atenuar o sofrimento das duas milhões de pessoas que vivem no enclave costeiro, dirigido pelo movimento islâmico Hamas, acrescentou o Presidente Al-Sissi.

Assuntos Egipto  

Leia também