Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

21 Julho de 2018 | 18h30 - Actualizado em 21 Julho de 2018 | 18h30

Eritreia: País nomeia primeiro embaixador na Etiópia em duas décadas

Addis Abeba - A Eritreia nomeou o seu primeiro embaixador na Etiópia em duas décadas, Semere Russom, dentro do processo de reconciliação de ambos países após recente assinatura do fim do estado de guerra.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Segundo informou neste sábado o ministro eritreu de Informação, Yemane G. Meskel, o presidente eritreu, Isaias Afwerki, nomeou o actual ministro de Educação, Russom, embaixador na Etiópia.

"Semere, que manterá a sua categoria ministerial, serviu como embaixador da Eritreia nos Estados Unidos e como governador da Região Central em exercícios anteriores", acrescentou o porta-voz do Governo eritreu.

O anúncio aconteceu depois que a Etiópia nomeou na quinta-feira Redwan Hussien, ex-embaixador na Irlanda, para dirigir a legação do seu país na capital eritreia, Asmara.

O primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, e o presidente eritreu, Isaias Afewerki, assinaram no último dia 9 em Asmara "o fim do estado de guerra" numa declaração que inclui respeitar as fronteiras marcadas no Acordo de Argel de 2000, que acabou com o conflito entre ambos países (1998-2000).

A normalização das relações bilaterais inclui a reabertura de embaixadas, o restabelecimento de linhas telefónicas e voos comerciais e o uso conjunto de portos marítimos.

A Eritreia reabriu a sua embaixada em Adis Abeba na segunda-feira e, segundo o Ministério de Relações Exteriores da Etiópia, este país já está preparado para reabrir a sua missão diplomática em Asmara.

A Eritreia tornou-se independe da Etiópia em 1993, mas as disputas fronteiriças levaram os dois países a uma guerra que deixou dezenas de milhares de mortos de ambas as partes, e que acabou com o Acordo de Argel assinado em 12 de Dezembro de 2000.

Assuntos Política  

Leia também
  • 01/02/2019 10:27:40

    Presidente do Sudão diz que apenas eleições o podem tirar da liderança

    Cartum - O Presidente do Sudão, Omar al-Bashir, criticou hoje (1) que as manifestações contra si, convocadas através de plataformas sociais na internet, assinalando que a mudança no poder apenas pode ser validada através de eleições.

  • 31/01/2019 19:16:24

    Argélia: Bouteflika ainda com apoio de simpatizantes para as eleições

    Argel - O presidente argelino, Abdellaziz Buteflika, apesar de estar enfraquecido pelo AVC que sofreu em 2013, continua a ser pressionado pelos seus apoiantes para disputar um quinto mandato presidencial em Abril de 2019.

  • 29/01/2019 10:15:49

    PR do Zimbabwe está pasmado com vídeo de abusos pelas forças policiais

    Harare - O Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, ficou "estupefacto" com uma reportagem da estação de televisão Sky News, que reproduziu um vídeo de abusos pelas forças de segurança, e ordenou que estes elementos fossem detidos, informou nesta terça-feira a Lusa.

  • 27/01/2019 12:00:58

    Malí: ONU homenageia Capacetes Azuis tchadianos mortos no país

    Bamako - Uma homenagem solene é prestada este domingo, em Bamako, aos 10 Capacetes Azuis tchadianos mortos num ataque terrorista, a 20 de Janeiro último, no Mali, numa cerimónia a ser presidida pelo representante especial do Secretário-Geral das Nações Unidas e chefe da Missão Multidimensional Integrada da ONU para a Estabilização do Mali (MINUSMA), Mahamat Saleh Annadif, indicou a PANA.