Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

23 Agosto de 2018 | 14h41 - Actualizado em 23 Agosto de 2018 | 14h41

Líbia:Governo recusa imigrantes ilegais no seu território

Tripoli - O ministro dos Negócios estrangeiros do governo da Líbia, Mohamed Sayala, recusou quarta-feira a instalação dos imigrantes ilegais no seu país.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Imagem de migrantes a deriva (Arquivo)

Foto: ARIS MESSINIS

"A Líbia não aceita uma medida injusta e desigual. Ela alberga mais de 700 mil migrantes. Eles devem ser repatriados para seus países de origem", indica Mohamed Sayala, chefe de um dos governos líbios apoiado pela ONU.

Oficialmente, a rejeição da Líbia deve-se ao facto dos centros de abrigos para migrantes estarem superlotados, abrigando milhares de migrantes que foram resgatados no mar ou presos pelos serviços de segurança líbio.

"A Líbia é um país de trânsito dos migrantes, e já gerou muitas coisas.

A comunidade internacional deve assumir suas responsabilidades, colocando pressão sobre os países de origem dos migrantes para aceitar o regresso dos seus cidadãos, e ser responsável pelo custo do seu regresso ao seu país ", acrescentou.

Devido à insegurança e o caos reinante na Líbia desde o levante de 2011, depois do derrube do antigo dirigente, Muammar Kadhafi, à Líbia tornou-se num dos pontos de partida preferidos para imigrantes ilegais que esperam cruzar o Mar Mediterrâneo para ir para à Europa.

Assuntos Líbia  

Leia também