Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

04 Setembro de 2018 | 17h48 - Actualizado em 04 Setembro de 2018 | 17h47

Líbia: Itália volta a responsabilizar a França pela situação líbia

Roma - O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, voltou a responsabilizar a França pelo caos na Líbia, noticiou nesta terça-feira a AFP.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Líbia: imagem dos efeitos da guerra civil (Arquivo).

Foto: MAHMUD TURKIA

  

"Penso em alguém que foi à guerra, quando não devia fazê-lo. Alguém que fixa as datas para as eleições, sem avisar os seus aliados, a ONU e os líbios", disse Matteo no seu Twitter, referindo-se à intervenção  militar da França na Líbia.

"A Itália deve continuar a ser protagonista do processo de estabilização no Mediterrâneo", escreveu o líder da extrema-direita no Twitter em referência à Líbia. Para Salvini há alguém por trás (dos actuais combates.

“Isto não acontece por acaso. O meu temor é que alguém, por motivos económicos nacionais, coloque em perigo a estabilidade de todo o Norte da África e por consequência da Europa".

Penso em alguém que foi à guerra, quando não devia fazê-lo. Alguém que fixa as datas para celebrar eleições, sem avisar seus aliados, a ONU e os líbios", completou.

A uma questão dos jornalistas sobre o porque que não aceita a entrada de migrantes nos portos italianos, respondeu: "pergunte a Paris".

Segunda-feira, a ministra italiana da Defesa, Elisabetta Trenta, também citou a "responsabilidade" da França pelo seu papel na intervenção militar internacional contra o governo de Muamar Khadafi em 2011.

Roma critica regularmente Paris pelo caos da Líbia que favoreceu a onda migratória.
Trenta e Salvinia descartaram uma intervenção das forças especiais italianas em Tripoli.

A Itália tem mais de 300 militares na Líbia, para a protecção de um hospital em Misrata e da embaixada em Tripoli. Também fornecem apoio logístico à Guarda Costeira líbia.

Tripoli enfrenta uma situação complexa com combates no sul do país, com a participação de várias milícias e das forças vinculadas ao Governo de Unidade Nacional, reconhecido pela comunidade internacional e com sede na capital líbia.

Assuntos Líbia  

Leia também
  • 05/11/2018 18:27:59

    Líbia: Deputados pedem melhores condições para o sul do país

    Tripoli - Os membros da Câmara de Representantes da região sul da Líbia, manifestaram nesta segunda-feira, em Tripoli, a necessidade de activar as instituições de serviço e encontrar soluções rápidas à difícil situação que enfrenta essa zona, noticiou a Prensa Latina.

  • 05/11/2018 11:43:55

    Líbia/Itália: Governos analisam investimentos na área dos petróleos

    Tripoli - O presidente do Conselho Presidencial líbio, Fayez al-Sarraj, reuniu-se sábado, em Tripoli, com uma delegação da petrolífera italiana "ENI", liderada pelo seu director-geral, Claudio Descalzi, para analisar os projectos e investimentos petrolíferos comuns, informou a PANA.

  • 01/11/2018 10:13:01

    Líbia: ONU vai sancionar entraves nos acordos de segurança

    Tripoli - A ONU vai sancionar qualquer tentativa de impedir a implementação dos novos acordos de segurança, em Tripoli, notícia a Xinhua, advertiu o seu representante na Líbia, Ghassan Salamé.

  • 30/10/2018 10:38:23

    Líbia: Alemanha reabre embaixada no país

    Tripoli - O embaixador da Alemanha na Líbia, Oliver Owcza, anunciou para breve a reabertura da missão diplomática do seu país em Tripoli, encerrada por causa da insegurança naquele país da África do Norte, informou terça-feira a PANA.