Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

12 Setembro de 2018 | 17h01 - Actualizado em 12 Setembro de 2018 | 17h01

Líbia:Aeroporto de Tripoli de novo encerrado após bombardeamentos

Tripoli - O aeroporto internacional de Mitiga, na capital líbia, foi novamente encerrado nesta quarta-feira, após ter sido arbitrariamente bombardeado, noticiou à Xinhua.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Mapa da Líbia

Foto: cedidas

O departamento aeroportuário do ministério líbio dos Transportes anunciou a suspensão do tráfego aéreo devido aos bombardeamentos, que não causarão danos, confirmando que os voos foram transferidos para o aeroporto internacional da cidade de Misurata, a cerca de 200 quilómetros à leste de Tripoli.  

O aeroporto internacional tinha sido aberto a 07 de Setembro, após o seu encerr amento que se deveu aos conflitos armados entre as forças governamentais e das milícias.

Por outro lado, uma casa do bairro de Abou Salim, no sul de Tripoli, foi igualmente visado pelos bombardeamentos, fazendo vários feridos, segundo o conselho militar da mesma localidade.

Recentemente, Tripoli tem conhecido uma onda de violência caracterizada por confrontos entre as forças gover namentais e a milícia da sétima brigada auto-proclamada e proveniente da cidade vizinha de Tarhounah, a cerca de 80 quilómetros ao sudeste de Tripoli, fazendo 78 mortos e 210 feridos.  

A Missão de apoio das Nações Unidas na Líbia negociou um acordo de paz entre os beligerantes na semana passada, que pôs fim à violência. Todavia, a sétima brigada ameaça romper a trégua em Tripoli e de retomar o combate para “eliminar o crime e os gangs em Tripoli”.

O governo apoiado pela ONU rejeitou terça-feira, a ameaça da sétima brigada, tendo confirmado a sua vontade de manter a paz e a estabilidade na capital.

A Missão da ONU apelou igualmente as partes concernentes “absterem-se de toda declaração provocatória”.

A Líbia vive uma escalada de violência desde 2011, na sequência do derrube do regime do antigo dirigente líbio Muammar Kadhafi.



 

Assuntos Conflito  

Leia também