Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

11 Janeiro de 2019 | 12h01 - Actualizado em 14 Janeiro de 2019 | 09h08

RD Congo: Observadores elogiam alternância política no país "apesar de irregularidades"

Kinshasa - O grupo de observadores Sinergia das Missões de Observação Cidadã das Eleições elogiou quinta-feira (10) os resultados provisórios que apontam para uma vitória de um candidato da oposição na República Democrática do Congo (RD Congo), "apesar das irregularidades registadas", noticiou a Lusa.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

RDC/Eleições: Observadores dos Resultados Preliminares

Foto: António Escrivão

Num comunicado divulgado na página oficial na plataforma Twitter, a Symocel (sigla em francês) afirmou ter tomado nota e aceitados os resultados provisórios que dão a vitória ao candidato da oposição Félix Tshisekedi nas eleições de 30 de Dezembro.

"Enquanto aguarda o relatório final sobre o processo (eleitoral), a Symocel constata que, apesar das irregularidades registadas, esta etapa inaugura uma via de alternância política histórica esperada pelo povo congolês", lê-se no documento.

Para o grupo de observadores, o resultado constitui uma base "para a consolidação da conquista da democracia e da paz" na RD Congo.

A Symocel assinalou ainda a boa recepção dos resultados pela população.

"Esta divulgação foi recebida com júbilo e calma em todo o território nacional, apesar dos incidentes registados nas cidades de Kikwit e Kinsangani", consta no comunicado.

Durante o dia de quinta-feira, pelo menos quatro pessoas dois polícias e dois civis morreram na cidade de Kikwit, uma área considerado bastião do candidato Martin Fayulu, rival de Tshisekedi.

Ainda assim, o grupo de observadores felicitou “todos os partidos envolvidos, incluindo a Comissão Eleitoral Nacional Independente CENI), pelo envolvimento activo" no processo e apelou para os candidatos derrotados "recorrerem às vias legais para fazer valer, eventualmente, os seus direitos".

À população, a Symocel pede uma contribuição na "manutenção da paz, da coesão e da união nacional".

Antes da divulgação dos resultados, a Symocel afirmara ter testemunhado 52 “irregularidades graves" nos 101 centros de voto que analisou.

Os resultados provisórios das eleições presidenciais de 30 de Dezembro na República Democrática do Congo (RD Congo), divulgados na madrugada de quinta-feira, deram a vitória ao candidato da oposição Félix Tshisekedi, que conquistou 38,57%.

O outro candidato da oposição, Martin Fayulu, ficou em segundo lugar com 34,8% e contestou de imediato os resultados, denunciando o que considera ser um "golpe eleitoral".

O candidato apoiado pelo partido do Governo, Emmanuel Ramazani Shadary, considerado o delfim do Presidente do país, Joseph Kabila, que estava impedido de se candidatar ficou em terceiro lugar.

Com a contestação a assumir já contornos violentos e com quatro mortes registadas, Igreja Católica local e comunidade internacional unem-se no apelo para que uma eventual impugnação dos resultados seja feita "de forma pacífica" e de acordo com a Constituição e as leis eleitorais.

Filho do emblemático líder opositor e ex-primeiro ministro Étienne Tshisekedi, o vencedor das eleições, de 55 anos, demarcou-se, em meados de Novembro, do bloco comum da oposição  encabeçado por Fayulu para liderar a sua própria coligação.

O ainda Presidente governa desde 2001 um país rico em recursos naturais, mas marcado por crises políticas e por um conflito armado que causou milhões de deslocados.

Assuntos Eleições  

Leia também
  • 01/02/2019 04:46:50

    Sudão: Al-Bashir diz que apenas eleições o podem tirar da liderança

    Cartum - O Presidente do Sudão, Omar al-Bashir, criticou quinta-feira última, as manifestações contra si, convocadas através de plataformas sociais na internet, assinalando que a mudança no poder apenas pode ser validada através de eleições.

  • 30/01/2019 07:57:42

    Nigéria: INEC credencia 144 grupos de observadores

    Abuja- A Comissão Nacional Eleitoral Independente (INEC) na Nigéria credenciou 144 grupos de observadores que irão monitorar a condução das próximas eleições gerais no país.

  • 29/01/2019 17:25:02

    Registo eleitoral de sul-africanos em Angola começa em Fevereiro

    Luanda - O registo eleitoral dos cidadãos sul-africanos maiores de 16 anos residentes em Angola vai decorrer de 1 a 4 de Fevereiro próximo, anunciou hoje, em Luanda, à imprensa o embaixador da África do Sul no país, Mfana Phakola.

  • 28/01/2019 10:42:31

    Tshisekedi ordena detenção de polícia após repressão de manifestantes

    Kinshasa (Dos enviados especiais) - O novo chefe de Estado da República Democrática do Congo (RDC), Félix Tshisekedi, ordenou domingo a detenção de um oficial da Polícia Nacional implicado na repressão violenta, no mesmo dia, de uma manifestação de estudantes da Universidade de Lubumbashi (UNILU), que fez quatro mortos, incluindo três estudantes.