Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

28 Janeiro de 2019 | 16h15 - Actualizado em 28 Janeiro de 2019 | 16h15

Polícia moçambicana detém três ugandeses suspeitos de liderar ataques armados

Maputo - A polícia moçambicana apresentou neste de fim-de-semana em Nampula três ugandeses suspeitos de serem os líderes dos grupos armados que têm protagonizado ataques em Cabo Delgado, norte de Moçambique, informou a Lusa.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

"Estes são os cabecilhas do grupo de malfeitores que têm protagonizado ataques em Cabo Delgado", disse Zacarias Nacute, porta-voz da Polícia moçambicana em Nampula, norte do país, durante uma conferência de imprensa.

O grupo, que assume ter ligações com o grupo extremista Al-Shabaab em Uganda mas nega o envolvimento nos ataques armados em Cabo Delgado, é composto por dois homens e uma mulher, que, segundo a polícia, seria a esposa de um dos líderes dos desconhecidos que têm protagonizado ataques em pontos recônditos daquela província.

"Através do cruzamento de informações obtidas no interrogatório deles foi possível desactivar alguns acampamentos dos malfeitores", acrescentou Zacarias Nacute, que não detalhou a circunstância da detenção do grupo.

Um dos suspeitos disse à imprensa que o grupo viajou de Uganda para Moçambique para encontrar o seu líder, que estaria escondido nas matas da província de Cabo Delgado e supostamente a liderar os ataques.

"Eu sou o líder de um dos grupos do Al-Shabaab na Uganda, mas não faço parte dos grupos que têm protagonizado ataques em Cabo Delgado. Nós viemos para Moçambique para resgatar o nosso líder que foi capturado", disse.

Grupos armados até agora desconhecidos têm realizado actos de violência em vários distritos da província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, desde Outubro de 2017, tendo causado pelo menos 140 vítimas mortais.

Assuntos Conflito  

Leia também
  • 29/01/2019 09:32:47

    Malawi estradita suposto autor de genocídio para Rwanda

    Kigali - As autoridades judiciais do Malawi extraditaram nesta segunda-feira Vincent Murekezi, empresário rwandês acusado de ser uma figura-chave do genocídio contra os Tutsis, entre Abril e Julho de 1994, anunciou a PANA o porta-voz da Procuradoria-geral da República do Rwanda (PGR), Faustin Nkusi.

  • 28/01/2019 16:06:48

    Terrorista mais perigoso abatido no sul da Líbia

    Tripoli - Um dos elementos terroristas mais perigosos da Al Qaeda foi eliminado neste domingo, pelas forças do Exército nacional líbio no sul da Líbia, anunciou o porta-voz do Comando do Exército líbio, major-coronel Ahmed al-mesmari.

  • 25/01/2019 02:07:33

    Enviado da ONU na Líbia acusado de fazer parte da crise líbia

    Trípoli - o enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) à Líbia, Ghassan Salamé, faz parte da crise no país, declarou quarta-feira o porta-voz do Comando Geral do Exército líbio, o major-coronel Ahmed al-Mesmari.