Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

07 Abril de 2019 | 19h14 - Actualizado em 07 Abril de 2019 | 19h13

Libia:EUA retiram parte de suas tropas

Washington - Os Estados Unidos decidiram retirar "temporariamente" parte das suas tropas presentes na Líbia devido ao aumento de "distúrbios" no país do norte da África, informou neste domingo o comando das Forças Armadas na África (AfriCom).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira da Líbia

Foto: Divulgação



"Devido ao aumento de distúrbios na Líbia, um contingente de tropas que participam da missão do Africom foi retirado temporariamente do país em resposta às condições de segurança no terreno", anunciou o comando responsável pelas Forças Armadas dos EUA em África em comunicado.

 A nota não esclarece nem o número de soldados retirados nem o seu destino.

"A realidade quanto à segurança no terreno na Líbia é cada vez mais complexa e imprevisível. Apesar deste reajuste das nossas tropas, permaneceremos atentos para apoiar a actual estratégia dos EUA", garantiu o general do Corpo de Infantaria da Marinha, Thomas Waldhauser, comandante do Africom, citado na nota.

Desde que em 2011 a comunidade internacional contribuiu para a vitória dos rebeldes sobre o regime de Muammar Khadafi, a Líbia é vítima do caos e da guerra civil.

Actualmente há dois governos no país, um apoiado pela ONU no oeste e outro tutelado pelo marechal Khalifa Hafter, antigo líder da oposição a Khadafi recrutado pela CIA e que controla o leste do território.
 

Quinta-feira passada, Hafter lançou uma ofensiva militar para tomar Trípoli, actualmente sob controle do governo sustentado pelas Nações Unidas.

Tal acção levou os ministros de Relações Exteriores do G7 a defender neste sábado o apoio aos esforços da ONU a favor de uma Líbia "estável, pacífica, segura, democrática e unida, dotada de instituições estatais nacionais fortes e capazes de garantir segurança aos líbios".

 Neste sentido, o Africom expressou hoje seu apoio à ONU e se comprometeu a "continuar a fazer  a sua parte" para apoiar o governo e o povo líbio.
 

Assuntos Líbia   Política  

Leia também