Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

01 Abril de 2019 | 21h44 - Actualizado em 01 Abril de 2019 | 21h44

Moçambique: EUA distribuíram 125 toneladas de ajuda humanitária

Beira - Os Estados Unidos da América doaram 125 toneladas de suprimentos de emergência a comunidades das áreas afectadas pelo ciclone Idai, segundo um comunicado divulgado hoje pela embaixada norte-americana em Moçambique.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar


De acordo com o documento, os militares norte-americanos realizaram quinze missões, utilizando aeronaves C-130 Hercules, C-17 Globemaster e C-12 Huron para transportar mercadorias e pessoal essenciais associados aos esforços de assistência.


"Para ajudar a prevenir a propagação de doenças transmitidas pela água, como a cólera, o Governo dos EUA está a trabalhar com as organizações não-governamentais internacionais World Vision e CARE para fornecer água potável e suprimentos de higiene para 150 mil pessoas, com mais suprimentos a caminho", acrescenta o documento.


Além dos suprimentos de emergência, entre as mercadorias já entregues estão 3.600 cobertores, revestimentos plásticos para 1.800 residências e 1.800 conjuntos de cozinha.


"O povo dos Estados Unidos está ao lado do povo de Moçambique para responder a este desastre e para reconstruir a vida das pessoas afetadas pelo Ciclone Idai", conclui o comunicado.

Durante o dia de hoje, o Comando Militar Norte-Americano para África (AFRICOM) anunciou ter participado na distribuição de ajuda humanitária e que está a desenvolver mecanismos que permitam uma entrega mais eficiente.


"O Comando norte-americano para África está a utilizar o conceito de sistema radial, em que grandes aeronaves militares e comerciais transportam ajuda para a plataforma em Maputo, e depois aeronaves militares mais pequenas transportam essa ajuda para raios onde os nossos parceiros possam então entregar os produtos para os necessitados", lê-se no comunicado, emitido pelo comando sediado em Estugarda, na Alemanha.

O Secretário da Defesa dos Estados Unidos da América autorizou que o AFRICOM utilizasse até 15 milhões de dólares em ajuda humanitária em situações de desastre.

Além do transporte e distribuição de ajuda humanitária, as forças do AFRICOM estão "a trabalhar ativamente para abrir aeródromos e maximizar as rotas de transporte disponíveis", refere o comunicado.

O ciclone Idai atingiu a região centro de Moçambique, o Malawi e o Zimbabwe em 14 de Março.

As autoridades moçambicanas atualizaram hoje para 518 o número de mortos provocados pelo ciclone Idai e pelas cheias que se lhe seguiram, mais 17 vítimas mortais relativamente aos últimos dados.

De acordo com o ponto de situação divulgado pelo Instituto Nacional de Gestão de Catástrofes (INGC) de Moçambique, registaram-se ainda 1.641 feridos e mais de 146 mil pessoas estão agora instaladas em centros de acolhimento.

Assuntos Moçambique  

Leia também
  • 03/04/2019 11:14:36

    Moçambique: Agências humanitárias da ONU intensificam ajudas

    Nova Iorque - O Programa Alimentar Mundial (PAM) manifestou a vontade de querer assistir esta semana, 1,2 milhão de pessoas atingidas pelo furacão Idai, depois da reabertura das vias nas zonas rurais das províncias moçambicanas de Sofala, Manica, Tete e Zambézia, indicou a ONU.

  • 02/04/2019 10:23:58

    Moçambique/Idai: OMS doa 38 milhões para combater a cólera

    Beira - A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou segunda-feira, em Moçambique, que vai doar 38 milhões de dólares nos próximos três meses, para conter o avanço da cólera.

  • 29/03/2019 17:05:20

    OMM considera que serviço meteorológico moçambicano fez bom trabalho

    Nova Iorque - O secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial (OMM), Petteri Taalas, disse que o serviço meteorológico moçambicano fez “um bom trabalho” na previsão e alerta do ciclone Idai, mas que os meios para evacuar as áreas de risco foram insuficientes.