Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

16 Maio de 2019 | 16h28 - Actualizado em 16 Maio de 2019 | 16h28

Líbia: Sessenta imigrantes socorridos ao largo das costas do país

Roma, Itália - Sessenta e cinco imigrantes foram socorridos de um naufrágio da sua embarcação, a 30 quilómetros ao largo das costas líbias, anunciou quarta-feira Uma Organização Não Governamental (ONG) alemã.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira da Líbia

Foto: Divulgação

A operação de socorro foi efectuada por um barco de tipo “Sea Watch 3”, pertencente à ONG alemã. Os naufragados encontravam-se a bordo de uma embarcação pneumática, descoberta por um avião de vigilância civil, de acordo com a mesma fonte.

A ONG precisou, num tweet quarta-feira, ter informado a Líbia, Itália, Malta e os Países Baixos sobre a operação de salvamento mas que continua sem respostas até ao momento.

Comentando o caso num tweet, o Ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, alertou que "um navio alemão de pavilhão neerlandês concentrou 65 imigrantes nas águas líbias".

"Que não se aproxime das águas italianas. Os nossos portos estão encerrados e continuarão a sê-lo", preveniu o governante.

Segundo o jornal britânico "The Gardian", na sua edição de quarta-feira, o Governo italiano vai publicar um decreto que prevê multas contra ONG que socorrerem imigrantes no Mediterrâneo para, depois, os transportarem para as costas italianas.

A multa, para cada imigrante, oscila entre três mil e 500 e cinco mil e 500 euros, referiu o jornal britânico.

Reagindo a esta informação, ONG afirmaram que o decreto do Ministro italiano do Interior "representa uma declaração de guerra contra estruturas que só salvam vidas no mar.

O encerramento dos portos italianos tornou a travessia do Mediterrâneo mais perigosa, devido ao número limitado das organizações humanitárias que vão socorrer imigrantes, indignaram-se.

Assuntos Imigração  

Leia também