Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

17 Maio de 2019 | 09h47 - Actualizado em 17 Maio de 2019 | 12h18

ONU apoia mobilização de saúde para levar vacinas e nutrição a crianças em Moçambique

Maputo - Quase dois meses após a passagem do ciclone Idai por Moçambique, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) apoiaram o governo local, na semana passada, a realizar uma ?semana de saúde? em resposta aos desafios vividos pela população, cita o site das Nações Unidas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Arte das bandeiras da ONU e de Moçambique

Foto: Arte de Osvaldo Pedro

A iniciativa levou vacinas, remédios e suplementação alimentar para mais de meio milhão de meninos e meninas afectados pela tempestade tropical.

Mais de 700 mil crianças foram vacinadas contra a pólio e mais de 650 mil, contra o sarampo e a rubéola. Profissionais também realizaram acções de desparasitação em mais de 550 mil crianças.

As equipas de saúde forneceram ainda suplementos de vitamina A para quase 700 mil crianças e suplementos de ferro e ácido fólico para mais de 650 mil meninas adolescentes. Quase 700 mil crianças foram examinadas para a detecção de casos de desnutrição aguda e encaminhamento aos serviços de tratamento adequados, quando necessário.

Liderada pelas autoridades moçambicanas, as acções concentraram-se em 21 dos distritos mais atingidos pelo Idai, nas províncias de Sofala, Manica, Inhambane e Zambézia.

O UNICEF elogiou o notável esforço das equipas de saúde para superar todas as barreiras e chegar às comunidades afectadas pela tempestade e também pelo ciclone Kenneth, que atingiu Moçambique a 25 de Abril.

“Crianças com menos de cinco anos e mulheres grávidas enfrentam riscos de saúde e nutrição perigosos após a devastação causada pelos dois ciclones em Moçambique”, disse Michel Le Pechoux, representante adjunto do fundo da ONU em Moçambique.

“A campanha da Semana de Saúde é um passo significativo no restabelecimento dos serviços básicos”, acrescentou o dirigente.

A cantora moçambicana Neyma, embaixadora do UNICEF em Moçambique, juntou-se à equipa técnica da agência da ONU e participou de sessões de esclarecimento e mobilização social na Rádio Moçambique e em rádios comunitárias. Actividades com a artista também foram promovidas em unidades móveis multimídia, com o objectivo de explicar a importância da adesão aos serviços promovidos pela campanha.

Mais e mais famílias estão a voltar para as suas casas devastadas ou estão a ser reassentadas em áreas mais seguras. Mas mesmo nessas regiões, a infra-estrutura básica e os serviços precisam ser construídos do zero. Muitos moçambicanos perderam tudo.

“O UNICEF está comprometido em trabalhar com o Ministério da Saúde e outros parceiros e com as comunidades para garantir que todas as crianças sejam vacinadas e recebam o apoio vitamínico e nutricional necessário para sobreviver e prosperar e (para garantir) que o seu direito a cuidados de saúde primários de qualidade seja cumprido”, afirmou Le Pechoux.

Assuntos Saúde  

Leia também
  • 12/08/2018 19:22:24

    Novo surto de ébola na RDCongo com 22 casos confirmados

    Kinshasa - O novo surto de Ébola no noroeste da República Democrática do Congo (RDC) soma já 22 casos confirmados, segundo os últimos dados divulgados pelo ministério da saúde do país.

  • 24/07/2018 06:07:48

    Libéria: Mulher suspeita de infectar família

    Monróvia - O vírus Ebola pode ter se tornado latente em uma paciente que se acreditava estar curada e supostamente contaminou a sua família, adverte um grupo de pesquisadores em um estudo publicado segunda-feira

  • 19/04/2018 10:00:51

    Portugal: Cimeira mundial analisa a Saúde em África em Coimbra

    Coimbra (Portugal) - Pelo menos 700 peritos vão debater nesta quinta-feira e sexta-feira, em Portugal, a saúde global dos países africanos, o tema central da reunião regional da Cimeira Mundial da Saúde, que decorre em Coimbra.