Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

03 Julho de 2019 | 19h08 - Actualizado em 03 Julho de 2019 | 19h07

Separatistas anglófonos decretam cessar-fogo de 24 horas nos Camarões

Yaoundé - Os secessionistas anglófonos das regiões do sudoeste e noroeste dos Camarões decretaram um cessar-fogo de 24 horas para permitir que uma delegação norte-americana de senadores visite a zona de conflito, anunciaram hoje os separatistas em comunicado.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Mapa dos Camarões

Foto: Divulgação

"Após as consultas, declaramos um cessar-fogo de 24 horas que iniciou à meia-noite de terça-feira e prossegue até quarta-feira à meia-noite. A nossa decisão é motivada pela visita de membros do Senado americano que se encontram nos Camarões para se inteirar da situação prevalecente nas nossas duas regiões ", precisa o texto do chamado Estado de Ambazônia.

"Convidamos igualmente as autoridades camaronesas de Yaoundé a observar um cessar-fogo de 48 horas em benefício de nossos hóspedes e para permitir que os trabalhadores humanitários entrem na zona de conflito", prossegue o comunicado.

O Governo dos Camarões não reagiu a este apelo formulado pelos separatistas na noite de terça-feira, após o primeiro-ministro camaronês, Joseph Dion Nguté, ter recebeu no mesmo dia cinco membros do Congresso dos EUA, liderados pela senadora Karen Bass.

"Viemos ver com os nossos próprios olhos o que está a acontecer nos Camarões, inclusive no noroeste e no sudoeste", explicou à imprensa a senadora Karen Bass, chefe da delegação do Congresso americano.

A Resolução HRES358 foi submetida para a aprovação do Congresso dos EUA, a 26 de Junho de 2006, por iniciativa da senadora Karen Ruth Bass.

Esta resolução "apela ao Governo dos Camarões e aos grupos armados a respeitarem os direitos humanos de todos os cidadãos camaroneses, a pôr fim à toda a violência e a prosseguir um amplo diálogo sem condições prévias para resolver o conflito nas regiões do noroeste e do sudoeste.

"A situação nos Camarões continua a deteriorar-se. Para ser franca, a comunidade internacional e os cidadãos camaroneses que recebo regularmente, a título pessoal ou por telefone, estão preocupados com a direcção que segue este país", disse a senadora no Congresso a 26 de Junho.

Assuntos Camarões  

Leia também