Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

20 Outubro de 2019 | 12h02 - Actualizado em 21 Outubro de 2019 | 19h33

PR tswanês reintegra todos da Função Pública demitidos por greve

Gaberone - O Governo tswanês reintegrará todos os funcionários demitidos por participarem numa greve nacional, anunciou o Presidente tswanês, Mokgweetsi.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Chegada do Presidente do Botsuana, Mokgweetsi Masisi (arquivo)

Foto: Francisco Miudo

Estes agentes da administração, provenientes de diferentes serviços da Função Pública, participavam num movimento de greve que exigia um aumento salarial de 154 por cento.

Várias centenas de outros funcionários, que se reúnem, em cada semana, nos recintos dos estabelecimentos secundários da capital, Gaberone, também participaram neste movimento de contestação.

Esta greve, que devia durar 10 dias, foi prorrogada para oito semanas, já que o Governo tswanês se opunha a reunir-se com grevistas, muito menos satisfazer as suas exigências.

Mas finalmente, o Presidente Masisi decidiu acalmar os ânimos, reintegrando, na administração, agentes públicos despedidos devido à greve em apreço em 2011.

Durante o movimento de contestação, do ano de 2019,  vários funcionários perderam seus empregos, outros foram reinstalados ou transferidos para zonas afastadas como castigo ou meio de os levar a demitirem-se.

Ao se dirigir, quarta-feira última à noite, aos funcionários do Estado tswanês, o Presidente Masisi prometeu reintegrará-los, todos, na administração pública.

Assuntos Greve  

Leia também
  • 04/10/2019 13:56:01

    Guiné-Bissau: Magistrados suspendem greve por causa das presidenciais

    Bissau - Os magistrados da Guiné-Bissau decidiram suspender a greve para exigir a aplicação da lei sobre o novo estatuto remuneratório devido às eleições presidenciais, marcadas para 24 de Novembro, refere-se num comunicado a que a Lusa teve hoje acesso.

  • 23/09/2019 15:37:41

    Greve em açucareira moçambicana entra na quarta semana

    Maputo - Os trabalhadores da açucareira Maragra, no distrito da Manhiça, sul de Moçambique, completam hoje o 23.º dia de greve reivindicando aumentos salariais, disse à Lusa fonte da comissão de trabalhadores.

  • 13/09/2019 11:29:57

    Candidato as presidenciais antecipadas faz greve de fome na Tunísia

    Tunis, Tunísia - O candidato às eleições presidenciais antecipadas da Tunísia, Nebil Karoui, preso há várias semanas, iniciou uma greve de fome para exigir o respeito pelo seu direito de voto nas eleições de domingo próximo, anunciou o seu advogado, Ridha Belhadj, informou a Pana.