Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

02 Setembro de 2020 | 19h16 - Actualizado em 02 Setembro de 2020 | 17h32

Libertado sob caução jornalista detido há mais de um mês no Zimbabwe

Harare - O jornalista Hopewell Chin'ono, detido há mais de um mês no Zimbabwe e acusado de incitar à violência, foi hoje libertado sob fiança, anunciou o tribunal, que o proibiu de publicar nas redes sociais até ao julgamento.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A decisão sobre a libertação do jornalista ocorre horas depois de uma decisão semelhante que colocou também em liberdade o opositor Jacob Ngarivhume, detido na mesma altura que Hopewell Chin'ono.

Os pedidos de liberdade mediante caução dos dois homens tinham já sido negados três vezes pela justiça do Zimbabwe.

O magistrado que aprovou a libertação do jornalista estipulou que este não deve fazer publicações nas redes sociais como o Facebook ou o Twitter enquanto aguarda julgamento.

Hopewell Chin'ono foi detido juntamente com opositor Jacob Ngarivhume por ter expressado, através da rede social Twitter, o seu apoio a protestos promovidos pelo partido Transformar o Zimbabwe.

Jacob Ngarivhume, que lidera o partido, foi preso em 20 de Julho depois de ter convocado uma manifestação para 31 de Julho contra a alegada corrupção no regime do Presidente Emmerson Mnangagwa e os efeitos da crise económica e social que assola o Zimbabwe há duas décadas.

Ngarivhume e Chin'ono estão entre vários críticos do Governo e activistas da oposição detidos nos últimos meses por manifestarem preocupação com os problemas crescentes do país.

Na terça-feira, um dos advogados do jornalista, que o visitou na cadeia, adiantou que Chin'ono está "visivelmente doente" e apresenta sintomas "consistentes com a covid-19".

Cerca de 20 pessoas foram presas durante a manifestação proibida em 31 de Julho, incluindo a escritora Tsitsi Dangarembga.

Foram todos libertados sob fiança pouco tempo depois.

Além da repressão política, o Zimbabwe tem estado mergulhado numa crise económica durante as duas últimas décadas, que resultou numa inflação galopante e na escassez de muitos bens de primeira necessidade.

O Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, disse, segunda-feira, que tencionava enviar rapidamente uma delegação a Harare para tentar ajudar a aliviar a situação política no Zimbabwe após o fracasso de uma primeira missão deste tipo em Agosto.

O magistrado do Supremo Tribunal de Harare que hoje de manhã aceitou o recurso de Jacob Ngarivhume classificou a rejeição dos pedidos anteriores como "um erro da justiça".

Assuntos Internacional   Zimbabwe  

Leia também
  • 02/09/2020 18:16:50

    Novo surto de pólio no Sudão ligado à epidemia no Tchad das vacinas

    Bruxelas - A OMS afirmou que um novo surto de pólio no Sudão está ligado à epidemia associada às vacinas no Tchad, uma semana após a agência das Nações Unidas ter declarado o continente africano livre do vírus selvagem da poliomielite.

  • 02/09/2020 17:16:06

    Opositor do Zimbabwe libertado sob caução

    Harare - Um tribunal do Zimbabwe ordenou a libertação sob fiança do opositor Jacob Ngarivhume, preso em 20 de Julho sob a acusação de "incitar à violência pública" e cujos três pedidos de libertação anteriores tinham sido negados, foi hoje anunciado.

  • 01/09/2020 22:16:42

    Elefantes encontrados mortos no Zimbabwe foram vítimas de bactéria

    Harare - Os 12 elefantes encontrados mortos no último fim de semana perto da maior reserva natural do Zimbabwe foram vítimas de uma infecção bacteriológica, anunciaram hoje as autoridades.