Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

29 Setembro de 2020 | 15h54 - Actualizado em 29 Setembro de 2020 | 15h53

Cabo Verde: País precisa de "desconfinar" em segurança

Praia - O Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, admite que a situação económica no país é "preocupante" e apela às autoridades para criarem as condições necessárias para que o país possa "descofinar" em segurança.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca

Foto: Clemente dos Santos

As declarações do Presidente de Cabo Verde foram feitas à imprensa no final da reunião do Conselho da República que analisou a situação epidemiológica no país, que regista mais de cinco mil e 800 casos e 59 óbitos.

Jorge Carlos Fonseca afirmou que no encontro, que durou mais de seis horas, foi analisado o impacto económico da pandemia e as condições para o início do ano lectivo, face ao “aumento significativo” dos casos de infecção no concelho da Praia, referindo, porém, que nas restantes ilhas a situação está “sob controlo”.

O Presidente defendeu que as autoridades devem continuar a dar especial atenção à situação da epidemia na Praia, lembrando que tem havido um certo relaxamento da população nas medidas de prevenção, como o uso da máscara e o distanciamento social. 

Jorge Carlos Fonseca defendeu um reforço da comunicação para explicar à população os riscos da doença nos vários grupos da população.

A situação económica foi avaliada na presença do vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia. Desde meados de Março que Cabo Verde se fechou ao turismo, para conter a transmissão do novo Coronavírus, e os impactos fazem-se sentir no Produto Interno Bruto.

O Presidente de Cabo Verde reconheceu que o actual cenário “é preocupante” e admitiu que é preciso criar condições que permitam a retoma da economia para a situação não piorar.

Os últimos indicadores económicos dão conta de uma perda de 30% das receitas fiscais em 2020 e um aumento de 20% da taxa de desemprego.

Jorge Carlos Fonseca defende por isso a reabertura do país, a retoma da economia, porém sublinha a prioridade de fazer “recuar” os números da pandemia antes de “desconfinar”.

O governo do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, comprometeu-se a criar essas condições, nomeadamente, com o aumento de testes à Covid-19 para que o país possa ter uma ideia mais concreta da situação da epidemia.

O executivo garantiu ainda que será feito um esforço de forma a diminuir o tempo de espera pelos resultados, uma vez que 54% dos testes ultrapassam as 72 horas exigidas pelas autoridades sanitárias.

                                                                                        

                                           

Assuntos Cabo Verde  

Leia também
  • 27/09/2020 10:23:46

    Covid-19: Cabo Verde pede na ONU plano para África com perdão da dívida externa

    Nações Unidas - O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, pediu hoje um programa de recuperação para África da crise provocada pela covid-19, com um pacto global para perdão de dívida externa e acesso de todos à futura vacina.

  • 22/09/2020 08:46:43

    Cabo Verde reafirma compromisso com multilateralismo nas Nações Unidas

    Nações Unidas - O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, assinalou esta segunda-feira o 75.º aniversário da Organização das Nações Unidas, dizendo que o multilateralismo e o desenvolvimento sustentável não devem ser ameaçados pela pandemia de covid-19.

  • 19/09/2020 20:24:31

    BM financia com 22 milhões de euros projectos em sectores de transportes em Cabo Verde

    Praia - O Banco Mundial (BM) financiará projectos em Cabo Verde com quase 22 milhões de euros (cerca 2,4 milhões de contos), através da Associação Internacional de Desenvolvimento, visando a sustentabilidade e a qualidade das ligações marítimas inter-ilhas, bem como no sector energético e no reforço da transparência, apurou a PANA, sexta-feira, de fonte segura.