Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

15 Setembro de 2010 | 17h15 - Actualizado em 15 Setembro de 2010 | 17h15

Floresta do Maiombe elevada a área de conservação ambiental

Huambo

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huambo – Os técnicos do Ministério do Ambiente, reunidos em conselho consultivo desde terça-feira, na província do Huambo, aprovaram hoje, a floresta do Maiombe como uma área restrita de conservação ambiental, como modo de prevenir a degradação da sua biodiversidade.

De acordo com estudo apresentado no 2º conselho consultivo do referido órgão, a floresta do Maiombe, localizada na província de Cabinda, norte de Angola, está actualmente em ameaça, devido a pressão humana que consiste fundamentalmente na exploração selectiva e não sustentável de madeira, agriculturas itinerantes e a caça furtiva.

Além do parque do Maiombe, o conselho consultivo aprovou também outras duas áreas de conservação natural, sendo o parque nacional do  Mussuma (Moxico) e do Luiana (Kuando Kubango).

De acordo com a ministra do Ambiente, Fátima Jardim, que orienta os trabalhos, o sector está a realizar trabalhos de investigação e levantamentos para que possa aprovar novas áreas, e garantir, através de políticas consertadas, a devida conservação destes espaços.

O segundo conselho consultivo do Ministério do Ambiente está a prestar particular atenção à celebração da biodiversidade em Angola, e vai, entre outros aspectos, abordar questões relacionadas com a restauração dos parques nacionais e propostas de integração de novas reservas de conservação.

Está também a analisar o diploma legal regulador das actividades ambientais, os mecanismos de fiscalização, o fomento de políticas de sensibilização e educação ambiental.

O Conselho Consultivo do Ministério do Ambiente analisa também informações sobre o Orçamento Geral do Estado de 2010 revisto para o sector, propostas e plano de orçamento para 2011, bem como fazer considerações gerais sobre a Semana Nacional do Ambiente.

O programa reserva também a abertura da campanha "Limpemos Angola", que aconteceu numa escola do primeiro ciclo da comuna da Calenga e uma visita à Nossa Senhora de Monte (município da Caála).


Estão igualmente reservadas visitas ao Morro do Moco (ponto mais alto de Angola), localizado no município do Londuimbali, à casa ecologia e ao Laboratório de análise de água da Ecovisão na cidade do Huambo.

O conselho conta com a presença de quadros do Ministério do Ambiente e de outros sectores.

O evento decorre até ao próximo dia 16 do mês corrente.


 
 
 
 
 
 
 

Assuntos Província » Huambo  

Leia também
  • 31/01/2019 23:21:41

    Huambo "luta" para ser Capital Ecológica

    Huambo - Há sete anos, a província do Huambo desenvolve acções para se transformar na Cidade Ecológica de Angola, com olhos postos na educação e protecção ambiental.

  • 31/01/2019 13:33:53

    Plantadas mais de quatro mil árvores diversas

    Huambo - Quatro mil e 500 árvores diversas, entre pinheiros, casuarinas e frutíferas, foram plantadas hoje, quinta-feira, em algumas zonas dos municípios do Huambo e do Bailundo, em saudação ao Dia Nacional do Ambiente.

  • 29/01/2019 19:56:24

    Flora e fauna do Morro do Moco em risco de extinção

    Huambo - A floresta e as mais de 200 espécies de aves, entre outros animais, do Morro do Moco, ponto mais alto de Angola, situado no município do Londuimbali, província do Huambo, se encontram em risco de extinção, devido a acção dos habitantes circunvizinhos de uma das sete maravilhas do país.

  • 25/01/2019 22:57:41

    Exploração de inertes entre os crimes ambientais mais frequentes

    Huambo - A exploração de inertes, caça-furtiva, abate-indiscriminado de árvores e contaminação dos leitos de água, estão entre os crimes ambientais mais frequentes na província do Huambo, sem que prevaricadores prestem contas à justiça.