Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

28 Janeiro de 2012 | 12h32 - Actualizado em 28 Janeiro de 2012 | 13h18

Milhares de cidadãos saem a rua a favor da protecção do meio ambiente

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Cidadãos a favor da conservação do património natural

Foto: Angop

Luanda – Milhares de cidadãos angolanos marcharam hoje, sábado, em Luanda, a favor da protecção do meio ambiente, tendo em conta a garantia de um futuro próspero do país e defesa do planeta terra.

“Viva o Presente, Preserve o Futuro. Proteja o Ambiente” assim apelavam os participantes na marcha ecológica promovida pelo Ministério do Ambiente, em parceria com o Governo de Luanda, para saudar o 31 de Janeiro, Dia Nacional do Ambiente. 

Membros do Executivo angolano, deputados da Assembleia Nacional, militantes de partidos políticos, parceiros e consultores   ambientais, activistas de diversas organizações que lidam com o ambiente e sociedade no geral participaram da caminhada que teve início do largo Rio de Janeiro, nas imediações do Hotel Fórum até ao Largo da Independência.

A marcha ecológica visou sensibilizar a população para a adopção de práticas ambientais mais correctas, pondo em evidência o desenvolvimento sustentável e um futuro mais “verde” para o país.

Os ambientalistas e ecologistas de Angola e outros que lutam em prol do meio e defesa do planeta terra apelam pela conservação e gestão racional dos recursos naturais.

 As queimas e abate de árvores de forma anárquica para práticas agrícola, extracção de lenha para o fabrico de carvão e madeira para a comercialização, a caça furtiva, sobretudo de espécies proibidas, e exploração de inertes em locais inapropriados são entre outras acções que continuam a ser reprovadas por estes.

Segundo o presidente da Rede Maiombe, Januário Augusto, por ocasião do  31 de Janeiro, Dia Nacional do Ambiente, e do 25 de Janeiro, os ambientalistas, ecologistas e as comunidades beneficiarias vão lançar uma campanha de plantação de 400 árvores autóctones nos bairros periféricos de Luanda.

“Vamos salvar a mãe natureza porque ela precisa de viver em paz”, disse o ambientalista, em declarações à Angop à margem da marcha.

Informou que vão continuar a sensibilizar as comunidades para que em conjunto se conserve a fauna e a flora, para melhoria da qualidade de vida de  todos.

A República de Angola, através do Ministério do Ambiente, celebra pela 36ª vez neste ano, o Dia Nacional do Ambiente, a assinalar-se a 31 deste mês, com vista a se reforçarem os alertas aos diferentes sectores para a necessidade de se adoptarem padrões de vida sustentáveis, que promovam uma gestão equilibrada dos recursos naturais.

Foi no dia 31 de Janeiro de 1976 que terminou a primeira Semana de Conservação da Natureza, realizada em Luanda, na qual estiveram presentes delegações provenientes de Moçambique, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde.

Com a realização deste encontro ficou assim determinada a celebração do 31 de Janeiro como Dia Nacional do Ambiente em Angola.