Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

09 Junho de 2015 | 19h06 - Actualizado em 10 Junho de 2015 | 06h16

Práticas incorrectas no manuseio de resíduos hospitalares acarretam riscos

Luanda - As práticas incorrectas na segregação, recolha, transporte e eliminação dos resíduos hospitalares, no interior e exterior das unidades sanitárias e instituições prestadoras de serviços conexos à saúde, acarretam riscos potenciais, alertou hoje, terça-feira, em Luanda, o ministro da Saúde, José Van-Dúnem.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministro da Saúde, José Van-Dúnem

Foto: Francisco Miudo

“Os resíduos produzidos nas unidades sanitárias, sejam elas públicas ou privadas, bem como nos cuidados domiciliários e estabelecimentos farmacêuticos são um importante problema que deve ser tratado, considerando também o seu impacto na problemática da infecção hospitalar”, sublinhou José Van-Dúnem durante a sua intervenção no seminário sobre gestão de resíduos hospitalares.

Tendo em conta o seu potencial infeccioso e poluente, acrescentou o ministro, os resíduos hospitalares exigem uma atenção especial e técnicas correctas de manuseio, sobretudo, na sua geração, impondo que os trabalhadores de saúde directamente envolvidos estejam bem preparados para a sua segregação, descontaminação e desinfecção, com a finalidade de evitar impactes negativos na sua saúde e na saúde dos utentes.

De acordo com o governante, para um melhor processo a ser usado no tratamento de determinado tipo de resíduo, deve ter-se em conta a capacidade do mesmo reduzir grandemente o número de microorganismos e os equipamentos a serem utilizados em  todo o circuito, que devem ser mais modernos e adequados à realidade do país.

No que se refere ao ambiente, José Van-Dúnem disse que os resíduos hospitalares são capazes de contaminar os rios, mares e solos, cujos danos se repercutem negativamente na capacidade da biodiversidade local, quando mal acondicionados ou depositados sem tratamento prévio ou “quando lhes tenha sido dado um destino inadequado”.

Desta feita, observou que o Decreto Presidencial número 160/14, de 18 de Junho, representa um instrumento que orienta a gestão desses resíduos para o tratamento, armazenamento, acondicionamento e deposição final, sendo um imperativo que todos  os organismos produtores deste tipo de resíduos obedeçam ao previsto na legislação e sejam responsabilizados as instituições responsáveis pela sua má gestão.

Com a realização do seminário sobre “Gestão de Resíduos Hospitalares”, o governante  augura que o evento permita a formulação de contribuições para o Plano Estratégico para Gestão de Resíduos Hospitalares dos Serviços de Saúde, por forma a  serem alcançados os sucessos consideráveis num futuro próximo.

Assuntos Ambiente   Saúde  

Leia também
  • 03/02/2019 16:33:37

    Tempo em Angola

    Luanda - O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) prevê, até às 18h00 de segunda-feira (dia 04), para a região Norte do país, a ocorrência de chuva moderada a forte, acompanhada por vezes de trovoada em alguns municípios das províncias do Zaire, Cabinda, Bengo, Uíge, Malanje, Lunda Sul e Lunda Norte durante a manhâ e ao entardecer.

  • 02/02/2019 19:21:32

    Previsão do tempo

    Luanda - O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) prevê, até às 18h00 de domingoo (dia 03), para a região norte do país, a ocorrência de chuva fraca a moderada, acompanhada, por vezes, de trovoada em alguns municípios das províncias de Cabinda, Malanje, Lunda Norte e Lunda Sul durante a noite e ao longo da tarde.

  • 01/02/2019 15:33:06

    Fixada quota para importação de hidroclorofluocarbonos

    Luanda - Cento e setenta toneladas de hidroclorofluocarbonos (HCFCs) é quantidade que 42 empresas em Angola estão autorizadas a importar este ano.

  • 01/02/2019 14:04:23

    Elaboração de relatório sobre biodiversidade previsto para Março

    Luanda - A elaboração do sexto Relatório Nacional para a Convenção da Biodiversidade (6RNB) está prevista para Março de 2019, devido a transferência tardia dos fundos, no valor de 207.551 dólares.