Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

10 Agosto de 2015 | 18h18 - Actualizado em 11 Agosto de 2015 | 06h39

Queimadas em demasia perigam Palanca Negra Gigante

Luanda - O coordenador do projecto de conservação da Palanca Negra Gigante, Vaz Pedro, alertou hoje, em Luanda, que demasiadas queimadas no Parque Nacional de Cangandala podem prejudicar a reprodução deste antílope, maior referência da fauna angolana.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Parque Nacional Da Cangandala

Foto: Cedida à Angop

Em declarações à Angop em Luanda, o ambientalista referiu que as queimadas são recorrentes e, na sua maioria, perpetradas por caçadores furtivos.

"As queimadas têm origem humana e quase todos os anos registam-se em várias áreas do parque, sobretudo no período do cacimbo. Muitas queimadas são feitas por caçadores furtivos e outras por populares sem razão bem definida", precisou.

Vaz Pedro avançou que as queimadas recentemente registadas causaram danos na parte adjacente da nova vedação do santuário "Habitat da Palanca Negra Gigante", situado no parque de  Cangandala.

Segundo ele, as palancas localizadas no santuário do parque estão sob controlo, mas queimadas em demasia podem prejudicar a sua reprodução.

"No tempo de cacimbo regista-se a acumulação da matéria combustível. Se algumas queimadas precoces forem feitas de forma regrada e pontual podem também ser bastante benéficas, quer para regenerar o pasto, quer para proteger a área contra queimadas futuras e descontroladas", explicou.

No caso do santuário, acrescentou, devido à presença de vedações, deve-se ter um cuidado adicional porque estas podem danificar o material e prejudicar o habitat ou encurralar os animais.

Apesar da ocorrência, Pedro Vaz referiu que este ano as queimadas não foram significativamente piores em relação aos anos anteriores.

No santuário de Cangandala estão controladas 40 palancas negras, incluindo crias, de acordo com o coordenador do projecto de conservação desta espécie única no mundo.

O número de Palancas controladas tanto no Parque de Candangala como na reserva natural integral do Luando encontra-se abaixo de 200, contra os dois mil animais controlados no tempo colonial.

Assuntos Ambiente   Biodiversidade   Parques  

Leia também
  • 07/02/2019 13:43:34

    Fiscalização ambiental no sector mineiro será reforçada

    Luanda - O Ministério do Ambiente pretende este ano expandir a aplicação da legislação ambiental para as actividades mineiras, reforçando a aplicação de medidas de mitigação nas áreas de exploração.

  • 03/02/2019 16:33:37

    Tempo em Angola

    Luanda - O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) prevê, até às 18h00 de segunda-feira (dia 04), para a região Norte do país, a ocorrência de chuva moderada a forte, acompanhada por vezes de trovoada em alguns municípios das províncias do Zaire, Cabinda, Bengo, Uíge, Malanje, Lunda Sul e Lunda Norte durante a manhâ e ao entardecer.

  • 02/02/2019 19:21:32

    Previsão do tempo

    Luanda - O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) prevê, até às 18h00 de domingoo (dia 03), para a região norte do país, a ocorrência de chuva fraca a moderada, acompanhada, por vezes, de trovoada em alguns municípios das províncias de Cabinda, Malanje, Lunda Norte e Lunda Sul durante a noite e ao longo da tarde.

  • 01/02/2019 15:33:06

    Fixada quota para importação de hidroclorofluocarbonos

    Luanda - Cento e setenta toneladas de hidroclorofluocarbonos (HCFCs) é quantidade que 42 empresas em Angola estão autorizadas a importar este ano.