Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

08 Setembro de 2015 | 19h48 - Actualizado em 08 Setembro de 2015 | 19h47

Pau de Cabinda tráfico em massa na floresta do Maiombe

Luanda - O director nacional da Biodiversidade do Ministério do Ambiente, Joaquim Manuel, anunciou que nos últimos tempos, observa-se o tráfico em massa do Pau de Cabinda na floresta do Maiombe, utilizado como produto afrodisíaco.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Floresta do Maiombe

Foto: Liliana Ramos Lisa

Sem avançar detalhes, Joaquim Manuel, que apresentou o tema “A caça furtiva em Angola”, na conferência internacional da caça furtiva, que decorreu em Menongue de 02 a 04 de Setembro, referiu que o mesmo tem sido exportado para alguns países da Europa, onde já está a ser transformado.

Em algumas farmácias da cidade de Luanda (capital), já é possível observar o produto final e transformado do Pau de Cabinda, como por exemplo o “Cabinda Power”. 

Apesar desta particularidade com o Pau de Cabinda, Joaquim Manuel frisou que o tráfico de  outras é quase inexistente nas províncias de Cabinda, Zaire, Uíge, Bengo e Cuanza Norte, onde  dois porcento, dos 43,3 de cobertura florestal nacional, corresponde a floresta densa húmida de alta produtividade.

“Hoje, estima-se que o tráfico de plantas e seus produtos está abaixo de 1 % do tráfico mundial”, avançou o responsável.

Na sua óptica, o Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) em Cabinda tem registado a entrada de madeira serrada de mais de cinco espécies proveniente da República Democrática do Congo.

Angola apresenta uma extensão florestal de aproximadamente 53 milhões de hectares, o que corresponde a 43,3 por cento da sua superfície territorial.

As queimadas anárquicas, em função da prática da caça e prática agrícola, tem posto em risco as mais diversas zonas florestais existentes em Angola.

Deu a conhecer que em Angola existem tráfico de espécies de animais como (Cerocpithecus nictitans) macaco, (Pan troglodytes) chimpanzés, pombo verde e (Psittacus erithacus) e papagaio, maioritariamente proveniente da província de Cabinda, Cuanza Norte, Uíge e em menor quantidade do sul do país.

Assuntos Flora   Província » Cabinda  

Leia também
  • 08/09/2015 12:15:52

    Cunene: Combate à devastação da flora passa por acção integrada

    Ondjiva - O chefe do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) no Cunene, Abel Zamba, disse hoje, terça-feira, em Ondjiva, que o combate ao abate desregrado de árvores, acção concorrente à devastação da flora, passa por uma acção integrada com outros sectores.

  • 28/08/2015 12:11:49

    Descobertas 36 novas espécies de plantas na Lagoa de Carumbo

    Luanda - Trinta e seis das 537 plantas recolhidas na região da Lagoa de Carumbo (Lunda Norte) para estudo no herbário do Royal Botanic Gardens Kew (Reino Unido) constituem espécies nunca antes catalogadas, segundo resultados de uma pesquisa de 2011.

  • 26/08/2015 13:25:00

    IDF prevê produzir mais de 15 mil plantas na Lunda Sul

    Saurimo - O Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) prevê produzir mais de 15 mil plantas, este ano, na província da Lunda Sul, para criar polígonos florestais nos dois municípios em falta.