Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

15 Janeiro de 2016 | 17h34 - Actualizado em 15 Janeiro de 2016 | 18h03

Infra-estruturas ecoturísticas nascem nos parques nacionais do país

Luanda - Algumas infra-estruturas que visam a promoção do ecoturismo e contribuir para a diversificação da economia estão a "nascer" nos Parques Nacionais de Angola, numa iniciativa do Ministério do Ambiente e seus parceiros.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Pormenor do parque nacional da Kissama

Foto: Angop

O Ministério do Ambiente, desde 2008, tem vindo a recuperar e construir novas infra-estruturas em dez parques nacionais de Angola, no quadro do Programa de Investimentos Públicos (PIP) e apoios de parceiros nacionais e internacionais.

Por esta altura já se pode observar o aumento do número de bangalôs feitos de madeira em alguns parques nacionais, assim como a terraplenagem dos principais acessos como é o caso da Kissama (Luanda), Bicuar (Huíla), Cangandala (Malanje), reserva regional de Chimalavela (Benguela) e Luengue-Luiana (Cuando Cubango).

De acordo com o director do Instituto Nacional da Biodiversidade e Áreas de Conservação do Ministério do Ambiente, Abias Huongo, esforços continuam ser  envidados para o aproveitamento do manancial turístico dessas áreas de conservação.

Sem avançar o número de quartos e outras áreas de lazer, Abias Huongo deu a conhecer que o sector já contabiliza dezenas de bangalôs espalhados nos referidos parques, para o alojamento de turistas, quer nacionais como estrangeiros.

Nos parques nacional da Kissama e Bicuar, por exemplo, além das infra-estruturas construídas e recuperadas contam com dez bangalôs cada, além de outras áreas de lazer.

O Bicuar, localizado a 165 quilómetros da cidade do Lubango, província da Huíla, a área é rica em mamíferos de grande porte, possui espécies como onças, leopardos, olongos, gungas, zebras, mabecos, coelhos, além de algumas aves aquáticas.

De igual modo, o Parque Nacional de Cangandala, província de Malanje, também foram instalados dez bangalôs de madeira (ainda por inaugurar), além de outras infra-estruturas de apoio administrativo.

Para além da Palanca Negra Gigante (Hippotragus niger variani) e outros mamíferos conhecidos do Parque Nacional da Cangandala, o parque é também rico em espécies da Herpetofauna (répteis e anfíbios).

“Continuamos a envidar esforços para a modernização e reforço dos carros para safaris, assim como as motorizadas de quatro rodas para gestão e fiscalização dessas zonas naturais”, avançou o responsável.

“Neste momento, as infra-estruturas existentes têm capacidade para acolher alguns turistas, havendo um roteiro turístico que permite aos visitantes não só a observação de alguns animais, como também o desfrutar das paisagens naturais”, concluiu.

Assuntos Parques  

Leia também