Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

08 Agosto de 2018 | 12h40 - Actualizado em 08 Agosto de 2018 | 13h22

Combate a crimes ambientais exige cooperação

Luanda - A cooperação interinstitucional é fundamental para o desenvolvimento de políticas de combate aos crimes ambientais considerou hoje (quarta-feira), em Luanda, o coordenador da ONU e representante do PNUD em Angola, Paolo Balladelli.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Paolo Balladelli, representante da ONU em Angola

Foto: Clemente dos Santos

De acordo com o responsável, que falava no workshop sobre "Metodologia de avaliação institucional do consórcio internacional sobre combate a crimes contra a vida selvagem e florestas (ICCWC) em Angola", a cooperação interinstitucional é importante para o combate de crimes a nível nacional e internacional e facilita o reforço do quadro legal e do cumprimento da legalidade.

Acrescentou que as parcerias interinstitucionais ajudam em termos operacionais e de desenvolvimento dos recursos humanos nas diferentes vertentes de trabalho na área ambiental.

"Crimes contra a vida selvagem constam hoje das formas mais preocupantes de crimes internacionais, devido às grandes quantidades de dinheiro envolvidas, às ligações com outras formas de crime internacional e o impacto na vida selvagem que pode implicar a extinção de espécies e géneros de fauna e flora", sublinhou.

Paolo Balladelli realçou ainda que a grande importância de combater crimes contra a vida selvagem é reconhecida a nível internacional pelas ONU e governos  do mundo, através de várias iniciativas.

O responsável destacou a importância do workshop frisando que o mesmo tem o objectivo de avaliar a capacidade institucional de Angola de combater crimes contra a vida selvagem e as florestas, lacunas na legislação em vigor e na capacidade de implementar as mesmas.

Promovido pelo Ministério do Ambiente, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Gabinete das Nações Unidas contra Drogas e Crimes (UNODC), o workshop foi dirigido a representantes de organizações governamentais e não-governamentais, envolvidos na aplicação da Lei de crimes contra a vida selvagem.

O evento teve ainda como objectivo a apresentação de ferramentas do ICCWC IF e a avaliação expressa da actual legislação sobre crimes contra à vida selvagem e florestas e a situação da aplicação da Lei.

Assuntos Ambiente   Fauna   Flora  

Leia também
  • 08/08/2018 14:30:26

    Provedor de Justiça apela a sinergias para combate aos crimes ambientais

    Luanda - O provedor de justiça angolano, Ferreira Pinto, advogou hoje (quarta-feira), em Luanda, a necessidade da união de sinergias com conhecimento técnico e científico para os desafios globais de conservação da biodiversidade

  • 05/08/2018 17:21:34

    Previsão marítima

    Luanda - O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) prevê, até as 18h00 desta segunda-feira (dia 06 de Agosto), para as quatros regiões litorais de Angola, as seguintes condições climáticas para navegação marítima:

  • 03/08/2018 16:11:08

    Nascentes do planalto Central agredidas pelo homem

    Huambo - As nascentes dos Bombeiros, Calomanda, Lufefena, Sacahala, Calondeia, Apuli, Calute, da Ravina (Munda) e Colongoe, situadas no Planalto Central, podem perder volume e qualidade da água, devido à agressividade do homem às áreas contíguas, com consequências que provocarão a seca.