Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

19 Abril de 2019 | 10h05 - Actualizado em 20 Abril de 2019 | 11h25

Angola na vice-presidência do Fórum sobre Desenvolvimento em África

Luanda - Angola assumiu a primeira vice-presidência do Fórum sobre Desenvolvimento Sustentável em África, órgão onde durante 12 meses vai coordenar grupos de trabalho relacionados às alterações climáticas e sistemas de inovação tecnológica para o sector do Ambiente.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Presidium do Fórum sobre Desenvolvimento Sustentável em África,

Foto: Pedro Parente

Segundo uma nota de imprensa do Ministério do Ambiente, a que a Angop teve hoje (sexta-feira) acesso em Luanda, Angola assumiu este cargo durante a 5ª Sessão do Fórum Regional Africano sobre o Desenvolvimento Sustentável, que decorreu de 16 a 18 deste mês, na cidade de Marrakech, no Reino de Marrocos.

A presidência do fórum, que decorreu sob o lema "Empoderar as populações e assegurar a inclusão e a igualidade", foi assumida pelo Reino de Marrocos.

No encontro, a delegação angolana, chefiada pela ministra do Ambiente, Paula Francisco, apresentou o Plano  Nacional de Tecnologias Ambientais e manteve um encontro bilateral com responsáveis ligados ao Desenvolvimento Sustentável do  Reino de Marrocos, onde ficou assente a necessidade do reforço de uma posição comum e de consenso com o apoio da União Africana sobre as alterações  climáticas.

O governo de Marrocos garantiu apoiar Angola na realização da primeira conferência internacional sobre as alterações climáticas, um evento que conta já com o apoio da União  Europeia.

Este 5º fórum produziu medidas e resoluções que irão alimentar a sessão de 2019 do Fórum Político de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável, sob os auspícios do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas, que será realizado, em Julho de 2019, em Nova Iorque.

O certame produziu ainda uma "Declaração de Marrakech", no qual os ministros e funcionários africanos responsáveis pelo ambiente e pela sustentabilidade desenvolvimento, formuladores de políticas e especialistas, reafirmaram o compromisso com a implementação do Programa dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável  e a adesão de África às diretrizes estabelecidas para implementação da Agenda 2030.

Os participantes enalteceram as iniciativas lançadas na primeira Cúpula de Acção convocada pelo Rei Mohammed VI,  à margem da 22ª reunião da Conferência das Partes na Convenção-Quadro sobre o Clima Mudança, incluindo o estabelecimento da Comissão do Clima da Bacia do Congo, presidido pelo Congo, pela Comissão do Clima do Sahel, presidida pelo Níger, e pela Comissão do Clima dos Estados Insulares, presidida pelas Ilhas Seychelles.

O 5º  fórum foi convocado pela Comissão Económica das Nações Unidas para a África (UNECA) em colaboração com organizações regionais e o sistema das Nações Unidas  e contou com o patrocínio do Rei Mohammed, de
Marrocos.

O 6º fórum está agendado para 2020 no Zimbabwe.

Assuntos Ambiente   ONU   África  

Leia também
  • 18/04/2019 17:06:35

    Tempo em Angola

    Luanda - O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) antevê, até às 18h00 desta sexta-feira (19), para a região norte do país, a ocorrência de chuva fraca a moderada, acompanhada, por vezes, de trovoada em alguns municípios das províncias de Cabinda, Zaire, Luanda, Bengo, Uíge, Cuanza Norte e do Cuanza Sul.

  • 18/04/2019 09:26:34

    Plantadas pingo de ouro no município do Andulo

    Andulo - Quinhentas plantas ornamentais do tipo pingo de ouro foram colocadas no solo, nesta quinta-feira, pela juventude do município do Andulo, 130 quilómetros a Norte da cidade do Cuito, província do Bié, numa acção promovida pela administração local.

  • 11/04/2019 22:15:45

    Falta de estatuto ditou falência dos projectos das casas ecológicas

    Huambo - A falta de um estatuto legal que reconheça as casas ecológicas da cidade do Huambo como instituições vocacionados à educação ambiental ditou a falência dos projectos de ambas instituições.