Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

02 Outubro de 2019 | 17h15 - Actualizado em 02 Outubro de 2019 | 17h14

Autoridades ponderam proibição do uso de sacos plásticos

Huambo - O Gabinete do Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários na província do Huambo, pondera a proibição, nos próximos tempos, do uso de sacos plásticos, por parte das panificadoras, visando o reforço das acções de preservação e protecção do ambiental.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A pretensão foi manifestada hoje, quarta-feira, pelo responsável da instituição, César de Osvaldo Pakissi, durante uma acção de formação e sensibilização dos operadores do ramo da indústria panificadora, decorrido sob o lema “Como o plástico afecta o meu negócio e o meu próximo”.

Referiu que não se pode descartar a possibilidade da aplicação desta medida, no sentido de alinhá-la aos compromissos e políticos que a Primeira-dama da República, Ana Dias Lourenço, assumiu recentemente, nas vestes de embaixadora de combate aos plásticos na África Austral, uma acção que exige soluções adequadas para o alcance dos seus objectivos.

César de Osvaldo Pakissi informou que a proposta tem como principal objectivo o combate da proliferação dos resíduos plásticos nas artérias desta região, por serem os vectores de poluição do meio ambiente, além de inviabilizar os objectivos das autoridades locais de elevar o Huambo à Capital Ecológica de Angola.

Segundo o responsável, além das indústrias panificadoras, a estratégia de proibição dos sacos plásticos, que serão substituição pelos de panos e outros meios manufacturados, caso seja adoptada, poderá abranger outros seguimentos do sector comercial, no sentido de bloquear a cadeira de disponibilidade aos utentes, que, por sua vez, acabam por deitá-los nas ruas, sem menor cuidado com o ambiente.

Não obstante, realçou, pretender-se propiciar uma cidade mais equilibrada, do ponto de vista ecológico, pois que a intenção tem igualmente uma vertente económica, de modo a contribuir nas políticas de redução das importações, uma vez que os mesmos objectos são produzidos fora do país e promover a produção local, no quadro do processo de diversificação da economia nacional.

O responsável recomendou, as panificadoras, no sentido de incentivarem os seus clientes sobre o uso de sacos de pano, como alternativa aos de plástico, para desencorajar, de forma paulatina, a utilização desses objectos prejudiciais ao ambiente, devido a sua incidência negativa ao nacional e internacional.

A acção formativa foi realizada no quadro do projecto de redução dos resíduos plásticos, que se enquadra na campanha “Clean up the world”.

Na província do Huambo, segundo dados das autoridades governamentais, existem 100 panificadoras.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também
  • 26/09/2019 18:51:34

    UJES defende envolvimento das unidades orgânicas na protecção do ambiente

    Huambo - A vice-reitora da Universidade José Eduardo dos Santos (UJES), Virgínia Quartin, defendeu hoje, quinta-feira, no Huambo, que as unidades orgânicas desta instituição estejam mais envolvidas nas actividades de protecção do meio ambiente.

  • 01/07/2019 18:30:06

    Huambo já possui laboratório de identificação de fluidos e refrigerantes

    Huambo - Um laboratório de identificação de fluidos, refrigerantes e ar condicionado, foi entregue hoje, segunda-feira, ao Centro de Ecologia Tropical e Alterações Climáticas (CETAC), em funcionamento desde 2012, na província do Huambo, numa iniciativa do Ministério do Ambiente.

  • 05/06/2019 17:56:36

    Huambo: FCA capacita 90 técnicos sobre exploração racional das florestas

    Huambo - Noveta técnicos do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) e do Ministério do Ambiente, foram capacitados entre Outubro de 2018 a Maio deste ano, pela Faculdade de Ciências Agrárias (FCA) da Universidade José Eduardo dos Santos no Huambo, em matéria de exploração racional dos recursos florestais.