Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

05 Junho de 2020 | 12h50 - Actualizado em 05 Junho de 2020 | 12h50

Governo alerta para uso racional dos recursos naturais

Luanda - O Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente alertou, nesta sexta-feira, para o uso racional e sustentável dos recursos naturais, para permitir que possam satisfazer as necessidades das gerações actuais e futuras.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Parque nacional da Kissama

Em mensagem alusiva ao Dia Mundial do Ambiente, que se celebra nesta sexta-feira, 5, o departamento ministerial destaca a necessidade da definição de instrumentos legais e política para conservar a biodiversidade que permitam salvaguardar a qualidade de vida das pessoas, vivendo num ambiente sadio e não poluído.

Conforme o documento, neste período de pandemia, confinamento social e de dificuldades económicas, urge que cada cidadão, instituição, organização, demonstre o seu compromisso para a protecção dos recursos naturais e para o uso sustentável dos recursos naturais como forma do garante da preservação da vida humana.

Adianta que a preservação dos recursos da biodiversidade depende dos esforços de todos e o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente desenvolve um conjunto de actividades enquadradas no Sistema Nacional de Áreas de Conservação que incluem não só a protecção da vida selvagem mas a investigação científica e a participação das comunidades na gestão das áreas de conservação, agora reforçada com a aprovação da Lei das Áreas de Conservação Ambiental.

 “A população angolana também depende dos recursos naturais para a sua sobrevivência tanto terrestres como marinhos. Neste contexto, é importante continuar a trabalhar para que o uso destes recursos seja feito de forma sustentável”, lê-se na nota enviada à ANGOP.

De acordo com o ministério, o foco na biodiversidade mundial é alicerçado no facto de se estar no limiar de uma grande extinção de espécies, uma vez que cerca de um milhão de espécies correm o risco de desaparecer nos próximos 10 anos.

O lema “Hora da Natureza”, frisa, coloca uma ênfase no serviços da natureza tanto para a alimentação, fornecimento de oxigénio e recursos hídricos e sobretudo, em termos de uma pandemia de saúde pública, o provimento de medicamentos.

A data, criada em 1972 por altura da Assembleia Geral das Nações Unidas, tem por finalidade criar uma postura crítica e activa em relação aos problemas ambientais existentes no planeta.

A criação da data marcou a abertura da Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente Humano, conferência essa que ficou conhecida como Conferência de Estocolmo.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 05/06/2020 10:06:26

    Especialistas pedem mais educação ambiental

    Luanda - Ambientalistas angolanos sugeriram, esta sexta-feira, a implementação de um programa nacional sobre educação ambiental, a fim de facilitar a regeneração dos ecossistemas.

  • 28/05/2020 17:42:50

    Ministra ausculta agentes ambientais

    Luanda - A ministra da Cultura, Turismo e Ambiente, Adjany Costa, auscultou, nesta quinta-feira, em Luanda, organizações não governamentais e projectos ambientais, com o objectivo de recolher contribuições para o fomento e promoção de acções em prol da preservação do meio ambiente.

  • 22/05/2020 06:01:54

    Angola prevê criar três novas áreas de conservação ambiental

    Luanda - Angola perspectiva a criação de novas áreas de conservação na Floresta da Kumbira, Serra do Pingano, Morro do Moco, e a primeira área de conservação marinha, nas províncias do Cuanza Sul, Uíge, Huambo e Namibe.