Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

24 Outubro de 2005 | 12h25

Futebol: Sagrada Esperança retira título a equipas de Luanda

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Sagrada Esperança, campão nacional de futebol

Foto: Foto Angop/Arquivo

Luanda, 24/10 - O Sagrada Esperança da Lunda-Norte inscreveu domingo, pela primeira vez, o seu nome na história da modalidade no país, tornando-se na segunda formação a levar o título do Campeonato Nacional de futebol da Primeira Divisão para fora de Luanda, na sua vigésima sexta edição.

O 1º de Maio de Benguela, ao vencer em 1983 e 1985, foi a primeira a alcançar tal feito. Petro de Luanda (13), 1º de Agosto (8) e ASA (3) são os outros clubes que já  venceram o trofeu mais importante do "desporto-rei" em Angola.

O golo apontado pelo defesa "internacional" angolano Lebo Lebo, aos 35 segundos, foi determinante para os "lundas" venceram a prova, depois de temporadas de persistência.

A prova, iniciada há 19 de Fevereiro deste ano, confirmou também a despromoção de três equipas para o escalão secundário, designadamente, o Sporting do Bié, Académica do Lobito e o Petro do Huambo.

As 14 formações entraram para esta competição com objectivos distintos, em função das possibilidades financeiras. Na "grelha de partida" para a conquista do título estavam o Petro de Luanda, ASA (campeão destronado), 1º de Agosto e o próprio Sagrada Esperança.

Os dirigentes do trio formado pelo Interclube, 1º de Maio de Benguela e o Progresso do Sambizanga apresentaram-se de início como candidatos ao primeiro posto, mas os fracos resultados no terreno inviabilizaram o "sonho".

O Benfica de Luanda foi a equipa revelação do campeonato, tendo assegurado a sua permanência no primeiro turno. A quinta posição obtida foi fruto da organização interna do clube "encarnado" liderado pelo bancário Generoso de Almeida, que em Maio último assumiu o comando directivo, em substituição do deputado Brito Júnior por doença.

O Sporting de Cabinda e o Atlético do Namibe terminaram com os mesmos números de pontos e garantiram sua continuidade. Os namibenses confirmaram a manutenção ao vencerem os "leões" de Cabinda na última ronda (2-0).

Com a despromoção do Petro do Huambo, a província planáltica fica sem representante no primeiro escalão do futebol angolano, mesmo com as excelentes infra-estruturas, particularmente em campos relvados (Kuricutelas e Cacilhas).

Este campeonato registou a participação de seis técnicos estrangeiros, designadamente, Bernardino Pedroto (ASA), José Ferraz (Progresso do Sambizanga) e José Alberto Torres (Petro do Huambo) todos de nacionalidade portuguesa, o brasileiro Arthur Bernardes (Petro de Luanda), o alemão Georg Tripp (Interclube) e o holandês Juan Brouwer (1º de Agosto).

Este grupo de treinadores mais oito nacionais mantiveram-se, pela primeira vez num campeonato nacional, nos seus respectivos postos durante toda a prova, sem "chicotadas psicológicas".

A única situação que aconteceu durante a prova foi a suspensão temporária do angolano Arnaldo Chaves, mas reconduzido ao seu lugar nas duas últimas rondas.

O avançado Love Kabungula (ASA) conquistou o título de melhor marcador, ao apontar 13 golos mais um que Mbunga do Sporting de Cabinda, numa competição que registou 432 tentos.