Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

11 Novembro de 2006 | 21h30

Futebol: 1º de Agosto sofre mas ganha Taça de Angola

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1º de Agosto vence 24ª edição da Taça de Angola

Foto: Foto Angop

Luanda, 11/11 - O 1º de Agosto necessitou da "lotaria" das grandes penalidades para conquistar hoje, no Estádio da Cidadela, a 24ª edição da Taça de Angola em futebol, depois de empate (1-1) no tempo regulamentar e prolongamento.

Na presença do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, no dia em que o país assinalou o 31º aniversário da independência, obtida em 11 de Novembro de 1975, os intervientes cumpriram as regras vigentes com a entoação do hino nacional.

Quando os ponteiros do relógio marcavam 15:03 horas, o juiz Pedro dosSantos, indicado pelo conselho central, dava o início da partida da final da segunda maior competição de Angola.

Assim, os ``militares``, que perseguiam a ``dobradinha`` fruto da conquista antecipada do campeonato nacional desta temporada, entraram sob pressão.

Para os ``encarnados``, a chegada à final e consequentemente a presença nas afrotaças, era uma honra ao clube disputar o troféu pela primeira vez.

O Benfica de Luanda, orientado por Zeca Amaral, foi a primeira formaçãoa tentar atingir o último reduto, com o guarda-redes Pitchú a desviar para o canto. Sessenta segundos depois, Nato Faial obrigou novamente o guarda-redesmilitar a ceder outro canto.

O 1º de Agosto, através do zambiano Milanzi, tentou "violar" a baliza de Dedé, depois do cruzamento de Danny, mas o cabeamento tomou outro rumo.

O Benfica, moralizado com o afastamento do Petro, mostrou-se desinibidoperante um adversário mais experiente e que lutava para a segunda conquista.

Os ``enrcarnados`` tentaram medir a capacidade de Pitchú (1º de Agosto), por intermédio de Hero, mas a bola foi desviada para canto.

Aos 36 minutos, o avançado Paíto, por inexperiência, não conseguiu forçar um penalti quando foi travado em falta pelo "número 1" do 1º de Agosto. Os benfiquistas reclamaram uma grande penalidade, mas o árbitro Pedro dos Santos não atendeu.

Já no primeiro minuto de compensação da etapa inicial, os militares chegaram ao golo por Gazeta, num cruzamento do zambiano Danny.

No reatamento, Gazeta falhou uma oportunidade de visar a baliza de Dedé.

Os ``militares`` conseguiram reverter o dominio dos ``encarnados``, fruto da sua atitude atacante.

Dada a entrega do Benfica, surgiu o empate aos 62 minutos, por Vado, num lance em que o guarda-redes do 1º de Agosto foi infeliz ao ser incapaz de impedir a trajectória da bola que passou bem perto de si.

Mesmo com o prolongamento, nada mudou no rumo em termos de resultado final, porém foi necessário a marcação de série de grandes penalidades para se encontrar o vencedor. E aqui o 1º de Agosto foi mais feliz.

O 1º de Agosto destronou nesta competição o Atlético Sport Aviação (ASA) e recebeu o cheque equivalente a 50 mil dólares, ao passo que a equipa derrotada teve metade deste valor, numa iniciativa da Casa Real e patrocínio do Grupo António Mosquito.