Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

16 Novembro de 2006 | 15h49

Futebol: Progresso assinala 31 anos com despromoção no Girabola

AngolaPress

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Por Ventura Bengo

Luanda, 16/11 - O Progresso Associação Sambizanga, um dos clubes mais populares do país, assinala sexta-feira o seu trigésimo primeiro aniversário sob o signo dadespromoção no Campeonato Nacional de futebol da primeira divisão (Girabola2006).

O clube foi fundado em Luanda a 17 de Novembro de 1975, resultado da fusão entre o Juventude Unida do Bairro Alfredo (JUBA), Juventista e o Vaza e tinha como propósitos unir a massa juvenil do bairro Sambizanga para o desenvolvimento do desporto, e do futebol em particular.

Na década de setenta, o conjunto participou em provas célebres como o "Torneio da Agricultura" que viria a ser o "embrião" do Girabola.

Na altura despontaram talentos como Praia, Santinho, Manuel, Bonito, Lélé, Salviano, Chiminha, Luís Cão, Augusto Pedro, Santo António, e outros que catapultaram o nome da equipa para fora dos limites do bairro.

Guiado por uma filosofia própria e também sob influência de antigas formações da área como a Académica do Ambrizete, Sporting do Musserra e Benfica do Kinzau, entra no convívio dos clubes mais fortes de Angola, tais como o 1º de Agosto, TAAG, Mambroa, Nacional de Benguela, Construtores do Uíge, Desportivo da Chela, Ara da Gabela, Ferroviário da Huíla e 1º de Maio, numa competição onde atrai muitos adeptos e simpatizantes.

Nos anos oitenta, depois da passagem dos presidentes Rui de Jesus, Brito Sozinho, BetoVan-Dúnem e Lopo do Nascimento, entra num período de projecção internacional, tendo sido aprimeira equipa do continente africano a jogar no mítico estádio de futebol do Maracaná, durante um estágio efectuado no Brasil.

Apesar de nunca ter ganho o campeonato nacional de futebol da primeira divisão, o Progresso em 1996, fazendo jus ao seu nome, conquista a Taça de Angola, numa final contra o 1º de Maio de Benguela, com o resultado de 1-0.

O grémio na sua trajectória teve também como presidentes Eduardo Veloso, Fiel Didi, SimãoPaulo, Daniel Simas e Galvão Branco, este último considerado o seu estabilizador financeiro,principalmente por ter vinculado o clube à empresa Cimangola, acção que permitiu acabar com as dificuldades existentes na época.

Num período mais recente, com a introdução de outras formas de gestão e administração na colectividade, aumenta o leque de modalidades desportivas (atletismo, vela, ténis, voleibol,futebol feminino e xadrez), tornando-se num pólo de desenvovimento desportivo.

Tendo o futebol como disciplina tradicional e predilecta, pelo Progresso passaram aindajogadores de referência como Mirrage, Sorsié e Vata, este transferido depois para o futebolportuguês, que antecederam a legião de Janguelito, Cacharamba, Zico e Pedro Manuel "Mantorras", do Sport Lisboa e Benfica.

Destaque ainda para o contributo valioso dos técnicos nacionais como Domingos Inguila, Arlindo Leitão, Laurindo, Joaquim Dinis, entre outros.

Actualmente presidido por Nelo Victor, o Progresso, que ocupa a décima terceira posição do Girabola2006, sob orientação do técnico brasileiro Luís Mariano, começajá a preparar a sua terceira descida à segunda divisão. A prova foi antecipadamente conquistadapelo 1º de Agosto, que destrona o Sagrada Esperança da Lunda-Norte, quando restam duas jornadas.

Para vários analistas, o facto negativo, muito se deve à falta de uma visão mais estratégica eperspicaz do seu dirigente máximo, que embora soube mobilizar importantes recursos financeiros,relutou em manter o técnico, mesmo com resultados indesejáveis (empates sucessivos).

Apesar disso, nem tudo no Grêmio é negativo, prova é que o seu futebol jovem continua a ser um autêntico viveiro para o futuro. Na classe feminina, o domínio permanece, e o xadrez está em alta com vários títulos, principalmente nos esclaões de formação.