Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

02 Abril de 2006 | 20h57

Futebol: Petro ultrapassa primeiro obstáculo na competição continental

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda, 02/04 - Embora não tenha conseguido repetir a "dose" da primeira "mão", mesmo a jogar diante de seu público, o Petro Atlético de Luanda passou para a segunda fase das preliminares de acesso à Taça da Confederação Africana de Futebol (CAF), ao empatar esta tarde, no Estádio da Cidadela, com o Astres dos Camarões, por2-2.

No primeiro jogo, em Doula, os "petrolíferos venceram por 2-1.

Durante uma partida pouco emotiva e, por isso, sem muita história, as equipas apresentaram-se bem nos primeiros quinze minutos, com futebol criativo e bastante aberto, o que levou os "donos da casa" a adiantarem-se no marcador, logo aos dois minutos por Manucho, na transformação de uma grande penalidade.

Reagindo, três minutos depois, o adversário levou o seu primeiro "aviso" a baliza de Lamá, com o médio Bikima a rematar forte mas a figura do guarda-redes do Petro, que defendeu para canto. Persistente, o mesmo Bikima acabou ainda por introduzir, aos 11minutos, a bola na baliza "petrolífera" com um cabeceamento, mas o árbitro swazi, Frank Milangeni, havia assinalado fora-de-jogo.

A formação angolana respondeu com um contra-ataque rápido e o médio Chara isolado, após uma troca de bola com Manucho, atirou para fora. Nesta altura eram decorridos 15 minutos e as jogadas ofensivas que resultavam em perigo de ambos os conjuntos eram realizadas, coincidentemente, na direita.

As equipas baixaram de produção e observou-se algum momento de futebol "bombeado", até que aos 19 minutos Delgado cruzou, da esquerda, e Manucho no "coração" da área cabeceou por cima do travessão da baliza adversária, dando a idéia de que a sua equipa marcaria algum golo ainda na etapa inicial.

Mas, apesar deste ascendente dos angolanos, foram os camaroneses que dois minutos depois (21) chegaram a igualdade por intermédio de Ekanga, que, aproveitando um cruzamento da direita do seu ataque feito pelo médio-ala Fodjeu, "bateu" Lamá com um cabeceamento de cima para baixo, como mandam as regras do futebol.

Daí em diante o Petro chegou mais vezes com perigo à baliza adversária, mas o resultado não se alterou até ao intervalo.

Logo no reatamento, o técnico Carlos Alhinho operou duas substituições no intuito de dar maior dinâmica a equipa, trocando o defesa Delgado e o médio Bondoso por jogadores da mesma posição Miro e David, que, verdade seja dita, em nada mudaram o curso dos acontecimentos.

O Petro de Luanda desperdiçou muitas oportunidades de golo, com Joni a evidenciar-se aos 50, 55 e 58 minutos, respectivamente. No primeiro lance, dentro da área adversária "matou" no peito e chutou muito por cima da baliza. No segundo, bem posicionado para o remate, também na grande área, tentou a finta e foi desarmado, enquanto no terceiro cabeceou muito fraco para a defesa do guarda redes contrário.

Além destas, outras situações de golo foram criadas mas não concretizadas pelos "tricolores", que viram os camaroneses a adiantarem-se no marcador aos 66 minutos no seu primeiro lance digno de registo na segunda parte.

Na área petrolífera, o defesa central Mog elevou-se mais em relação aos contrários e cabeceou para o fundo das redes de Lamá, na sequência de um cruzamento de Bikina na direita do seu ataque.

A vantagem camaronesa durou apenas quatro minutos, pois (aos 70) Zé Calanga restabeleceu a igualdade com o melhor golo do jogo (remate forte no bico esquerdo da grande área), garantindo a passagem para a fase seguinte.

O seu próximo adversário poderá ser uma equipa ganense ou congolesa.

Sob arbitragem do swazi Frank Milangeni, as equipas alinharam da seguinte forma:

Petro: Lama, Suca, Helder Vicente, Tana "cap", Delgado (Miro), Chara, Jony, Edson Kata (Mateus), Bondoso (David), Manucho e Zé Kalanga.

Técnico: Carlos Alhinho.

Astres: Lukong, Bagnack, Boyomo, Mog, Nguimbous, Tchouadem, Mbom "cap", Bikima, Ekanga (Bille), Fodjeu (Bossobeng) e Ncha.Técnico: Sockeng Etienne

Acção disciplinar: Cartão amarelo a Suca, do Petro de Luanda, e Nguimbous e Bikima, do Astres.

Árbitros auxiliares: Bhekisizwc Kabela e Mandla Gama.

Assistêcia: cerca de mil espectadores.