Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

18 Outubro de 2008 | 21h13 - Actualizado em 19 Outubro de 2008 | 09h14

Recreativo da Caála apura-se ao Girabola

Futebol/II Divisão

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Caála - O Recreativo da Caála apurou-se sabado para o campeonato nacional de futebol da primeira divisão, ao empatar em casa a
uma bola com o Atlético do Namibe, no encerramento da série B do torneio de apuramento.

A necessitar apenas de um empate para entrar, pela primeira vez, na maior prova futebolística do país, o conjunto azul-e-branco do município da Caála, a 23 quilómetros da cidade do Huambo, teve de sofrer até ao fim.

O renovado estádio relvado Mártires da Kanhala foi pequeno para acolher os cerca de sete mil e 500 espectadores saídos de vários municípios da província do Huambo para testemunharem a ascensão do Recreativo.

No entanto, o jogo não foi tão fácil. Os primeiros dez minutos foram dominados pelos donos de casa, que se apresentaram muito entrosados nos três sectores e bastante laboriosos na luta pela posse da bola, ante um adversário a revelar cautelas em demasia.

Fruto desta estratégia, assente no colectivo, por duas ocasiões o Recreativo da Caála podia chegar ao golo, não fosse a destreza dos defesas contrários que, até sobre a linha, impediam que a sua baliza fosse violada.

A partir daí, os namibenses, que em caso de vitória poderiam apurar-se para a I divisão, acertaram o seu jogo, passando a disputar a contenda de igual para a igual e a criar perigo para o último reduto dos anfitriões.

Chico, do Atlético do Namibe, aos 13 minutos, atirou forte para o travessão, num claro aviso de que o jogo ainda tinha muito por se disputar.

Aos 25 e 32 minutos, o locais, através de Vovô e Maizer, obrigaram o guarda-redes Renê a redobrar esforços para evitar os lançamentos que levavam selo de golo.

O nulo ao intervalo parecia, de certa forma, um castigo para o Recreativo da Caála, por ser a equipa que mais vezes procurou o golo, mas também aumentou o grau de dificuldades para as duas equipas em desfazerem o resultado.

O Atlético do Namibe, a quem menos interessava o resultado, entrou de rompante na 2ª parte e aos 46 minutos de jogo, 1º da etapa derradeira, Chico tirou proveito de uma falta de coordenação entre os defesas e o guarda-redes para inaugurar o marcador.

Daí em diante, o Recreativo da Caála subiu completamente no terreno, remetendo, por diversas vezes, o adversário dentro do seu meio-campo, mas faltava pontaria aos seus dianteiros para visar a baliza.

A igualdade surgiu três minutos depois dos 90 regulamentares na sequência da marca de grande penalidade, convertida por Zico, para delírio dos espectadores.

Sob arbitragem de Romualdo Baltazar, auxiliado por Eduardo Samuel e José Estêvão: (todos da I divisão), as equipas alinharam da seguinte forma:

Recreativo da Caála: Estêvão, Elias (capitão), Paíto (Paulo, aos 79 minutos), Salgado, Pick, Zico, Yuta (Dilo, aos 62), Vovô, Tito (Jandir, aos 52), Maizer e Plaston.

Treinador: João Patrick Kódia

Atlético do Namibe: Renê, Luwengo (Tonelada, aos 90+5), Samuel, Lileko, Geronimo, Lulú, Chico, Massudy (De Vigor, aos 59), Siló (capitão), Carlos e Pitchú (Vata, aos 81).

Treinador: Joaquim de Sousa

Acção disciplinar:
Lulú, Samuel, Chico e Jandir foram advertidos com cartolinas amarelas enquanto Carlos, aos 71 minutos, viu cartolina vermelha directa por agressão.

O Recreativo da Caála terminou com 25 pontos atrás da Académica do Lobito (2). O Atlético do Namibe, com 24, quedou-se na 3ª posição.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também