Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

24 Julho de 2009 | 07h40 - Actualizado em 24 Julho de 2009 | 16h47

Antiga "estrela" do 1º de Agosto apela para resgate da mística do clube

Polidesporto

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda – O ex-internacional angolano Ndunguidi Daniel apelou quinta-feira, em Luanda, os dirigentes do 1º de Agosto no sentido de
primarem por uma gestão mais organizada e eficaz, visando recuperar a mística do clube.     

 “O 1º de Agosto foi sempre um importante núcleo de desenvolvimento do desporto angolano, por isso os dirigentes devem encontrar as melhores formas de resgatar o seu passado glorioso”, disse, acrescentando que anteriormente os integrantes da família d’Agosto se dedicavam mais em relação ao presente. 

 Ndunguidi, que também foi treinador do clube militar, fez estas declarações quinta-feira à Angop, por ocasião do 32º aniversário do
clube afecto às Forças Armadas Angolanas (FAA), a assinalar-se no dia 1 de Agosto.

No entanto, defendeu maior empenho dos dirigentes e jogadores, por forma a recuperar o bom nome da equipa e satisfazer os interesses dos sócios e adeptos.            

“No passado jogávamos por amor à camisola e dedicação ao clube e tivemos um grupo coeso, com determinação no cumprimento dos nossos deveres. É o que não se verifica actualmente no 1º de Agosto”, lamentou Ndunguidi Daniel, actual técnico do Progresso do Sambizanga.        

Na sua óptica, muitos jogadores apenas se preocupam com os contratos e depois de assinados não dão o máximo para obtenção de
resultados esperados.           

Considerou ser triste a situação que atravessa a equipa principal de futebol do d’Agosto, que luta pelo título do campeonato nacional com acentuada desvantagem em relação ao seu principal “rival”, o Peto de Luanda.   

Redefinição do futebol como modalidade principal, enquadramento de antigas glorias, melhor utilização e gestão dos recursos orçamentais, entre outras, foram apontadas pelo antigo jogador como soluções para o retorno do clube aos tempos áureos.     

      

 A equipa do ''Rio Seco'' foi a primeira a conquistar um título nacional, em 1979, sob o comando técnico do angolano Nicola Berardinelli, feito que conservou nos dois anos seguintes, em 1980, com o jugoslavo Ivan Ridanovic como técnico, e em 1981, com o angolano Joaquim Dinis ''Brinca na areia”.

Actualmente a equipa é orientada pelo ucraniano Viktor Bondarenko.

Fundado no dia 1 de Agosto de 1977, o 1º de Agosto teve como primeiro presidente António dos Santos França ''Ndalu''.
Presentemente é dirigido pelo general Raul Hendrick. O avançado Love Kabungula (2º melhor marcador do Girabola2008) é a principal referência da equipa.

O clube movimenta, para além do futebol, o basquetebol, andebol, atletismo, natação, voleibol e tiro aos pratos.

De 52 anos de idade, Ndunguidi notabilizou-se ao serviço do clube militar e passou pelo Petro de Luanda, tendo conquistado títulos em ambas as equipas.

Como treinador, sagrou-se bicampeão nacional da primeira divisão e conquistou três super taças em 1998, 1999 e 2000, todas pelo
d’Agosto.