Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

18 Maio de 2010 | 23h37 - Actualizado em 19 Maio de 2010 | 08h29

Roberto Fortes e Miguel Kiala "derrubam" Libolo

Basquetebol

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Roberto Fortes, extremo do Petro de Luanda

Foto: Angop

Luanda - Depois de quatro derrotas diante do Recreativo do Libolo na presente edição do Campeonato Nacional de basquetebol, o Petro de Luanda, finalmente, conseguiu "vergar" a formação do Kwanza Sul por 84-70, na abertura do grupo A da última fase da prova, denominada "final four".

Para este efeito, os "petrolíferos" contaram com a inspiração de Mário Porter (21 pontos), Eduardo Mingas (16), Roberto Fortes (15) e Miguel Kiala (07). Os dois últimos destacaram-se mais na etapa final e, mesmo marcando menos que os primeiros, tornam-se nos protagonistas da vitória do Petro de Luanda.

Fortes apontou oito, dos 15 pontos na segunda parte, melhor período dos "tricolores", e foi o jogador mais produtivo nesta fase do jogo, ao lado de Kiala, que destacou-se na "luta" em baixo das tabelas, conquistando seis ressaltos, sendo cinco defensivos e um ofensivo.

Ambos "surgiram" nos momentos decisivos da partida. Os pontos marcados e ressaltos ganhos serviram de tónico para equipa, que precisava vencer para quebrar o "jejum" de vitórias diante de um adversário que procura se impor no basquetebol nacional.

Depois de uma primeira parte muito equilibrada, com 22-25 no primeiro quarto, a favor do Petro, e 44-44 ao intervalo, os "petrolíferos" foram demolidores na etapa complementar e marcaram mais 40 pontos contra 26 do Libolo, fixando o resultado final em 84-70 a seu favor.

Ao contrário da finalíssima da Taça de Angola, disputada domingo, onde derrotou o 1º de Agosto e conquistou o troféu, o Recreativo mostrou-se pouco eficiente nos lançamentos dos três pontos onde converteu apenas seis dos 27 tentados, contra 6/16 do adversário.

Outro pormenor de realce é a ineficácia do conjunto orientado por Raúl Duarte nos lances livres, que marcou apenas 54 porcento dos lançamentos (14/26), ao passo que o Petro de Luanda atingiu os 71 porcento (20/28).

Com esta vitória, o Petro soma dois pontos na segunda posição, enquanto que a formação do Kwanza Sul, com um, ocupa o quarto lugar. O 1º de Agosto lidera o grupo, com três pontos.

Com a arbitragem de António Bernardo e Francisco Pacheco, as equipas alinharam da seguinte forma: 

Libolo: Domingos Bonifácio (06), Olímpio Cipriano (15), Luís Costa (10), Carlos Morais (08), Gerson Monteiro (00), Adilson Câmara (00), Leonel Paulo (10), Abdel Gomes (00), Omar Peterkin (10), Reggie Moore (05), Feliciano Camacho (02), Milton Barros (04).

Técnico: Raúl Duarte

Petro de Luanda: Eduardo Mingas (16), Braúlio Morais (06), Curtis Terry (00), Fernando Albano (03), Roberto Fortes (15), Afonso Rodrigues (02), Paulo Santana (12), Miguel Kiala (07), Francisco Horácio (00), Mário Porter (21), Divaldo Mbunga (08), Idelfonso Kiteculo (00).

Técnico: Alberto Babo

Resultados parciais: 22-25, 44-44 (intervalo), 57-62, 70-84 (final).

Assuntos Angola  

Leia também