Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

20 Janeiro de 2011 | 17h47 - Actualizado em 21 Janeiro de 2011 | 16h11

SG do Comité Paralímpico sugere massificação com suporte do Estado

Polidesporto

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

SG do CPA sugere massificação desportiva

Foto: Angop

  

Luanda - O secretário-geral do Comité Paralímpico Angolano (CPA), António da Luz, afirmou hoje, em Luanda, que o Estado deve suportar a massificação do desporto entre crianças dos 08 e 12 anos de idade, através de uma instituição semelhante ao extinto departamento de recreação e cultura física.

Falando por ocasião do Dia Nacional do Desporto, a assinalar-se domingo, justificou que em Angola os clubes não possuem capacidade financeira e, nalguns casos, de infra-estrutura para desenvolver esse trabalho de forma massiva, restando ao estado assumir tal papel em defesa do pressuposto de que todo cidadão tem direito à prática do desporto.

Fez notar que após a independência o Departamento de Recreação e Cultura Física era a entidade indicada para assumir o desenvolvimento do desporto nas comunidades e que alguns anos depois da extinção se sente esse vazio.  

Nesta perspectiva, o professor de educação física defende a actualização e formação de monitores a nível das várias modalidades para que o ensinamento no escalão etário seja baseada na ciência, sem os “atropelos” que por vezes são cometidos no domínio do treinamento por insuficiência de conhecimentos.

  

“Temos a experiência do período pós-independência em que tínhamos um departamento de Recreação e Cultura Física, cujos resultados permitiram que o desporto nacional desse um salto tanto quantitativo tanto qualitativo”, frisou.

       

Adiantou que actualmente o desporto se encontra num período de quase retrocesso e que o país vive um pouco dos resultados obtidos, além fronteira, do basquetebol, andebol, desporto adaptado e da primeira participação em fase final do campeonato do mundo de futebol Alemanha2006.

Ao nível do aumento da população desportiva, o antigo basquetebolista adiantou que a situação não é de todo animadora e que o andebol é uma excepção, notando-se isso no número de atletas e de províncias que se mobilizam por ocasião da disputa dos campeonatos nacionais nas várias categorias.

Disse haver necessidade de melhor acompanhamento das modalidades individuais, já que, à semelhança de outros países, é por essa via que se conquista maior número de medalhas em competições internacionais e a consequente melhoria no ranking africano e mundial.

Em véspera da comemoração do dia nacional consagrado ao desportista, António da Luz disse que não se pode falar ainda em desenvolvimento desportivo em Angola e que o futebol, na qualidade de modalidade “rainha”, deve merecer maior atenção porque serve de impulsão para a sobrevivência das restantes.

O dia nacional do desporto, que se assinala a 23 de Janeiro, foi instituído pelo Governo da República de Angola em sinal de reconhecimento do papel que o desporto assume na sociedade como factor de integração e desenvolvimento humano.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 25/01/2019 15:47:59

    Desporto eleva imagem de Luanda

    Luanda - Pitoresca e cheia de atractivos, Luanda é uma inesgotável fonte de talentos. A cidade, fundada em 1576, destaca-se pela cultura desportiva de boa parte dos habitantes.

  • 31/12/2018 08:59:20

    Retrospectiva2018: Andebol reforça hegemonia

    Luanda - Sem igual, o andebol feminino reforçou este ano a hegemonia em África, com a conquista de mais um título, elevando para 13 o leque de troféus erguidos desde 1998. Em 20 anos, apenas em três ocasiões o país falhou o "caneco".

  • 28/12/2018 17:32:47

    Retrospectiva2018: Desporto adaptado gera ouro

    Luanda - A conquista do Campeonato do Mundo de Futebol para Amputados, em Novembro, no México, produziu júbilo generalizado. Pela sua relevância, este título faz do desporto adaptado embaixador angolano pelo mundo, por direito próprio.

  • 28/12/2018 10:55:05

    Retrospectiva2018: Futebol volta a "brilhar"

    Luanda - O futebol angolano conseguiu contrariar, em 2018, a tendência de fracassos que, nos últimos anos, fragilizavam a imagem dos clubes e da selecção nacional.