Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

16 Fevereiro de 2012 | 04h30 - Actualizado em 16 Fevereiro de 2012 | 04h30

Petro de Luanda na final da Supertaça Compal

Basquetebol

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Benguela- Ao vencer quarta-feira o Recreativo do Libolo por 73-70, o Petro de Luanda qualificou-se para a final da terceira edição da Supertaça Compal em basquetebol sénior masculinos, que decorre em Benguela.

Ao intervalo os “petrolíferos” venciam por 38-34.

Com 23 pontos, o norte-americano do Petro de Luanda Roderick Nealy foi o melhor marcador do encontro disputado no pavilhão Acácias Rubras. Luís Costa (Libolo) e Paulo Santana (Petro) apontaram 19 e 16 pontos, respectivamente.

Os campeões nacionais lideraram sempre o marcador e o máximo que o Libolo conseguiu foi reduzir para dois pontos. Ao contrário do esperado, uma vez que se tratava de duas das melhores equipas do país, o jogo não foi muito vistoso em termos ofensivos, com as defesas a suplantarem os ataques.

Cipriano, com nove pontos, não se destacou entre os marcadores, mas trabalhou sempre para a equipa, sendo melhor nas assistências da formação do Kwanza Sul com quatro, além dos nove ressaltos obtidos. O mesmo aconteceu com Carlos Morais que apontou nove pontos e conquistou sete ressaltos, sendo o melhor neste capítulo.

Os “tricolores” entraram melhor no encontro e jogados seis minutos já haviam alcançado uma diferença pontual de mais de 10 pontos.

Na ocasião, Roderick Nealy, com sete pontos, era a unidade mais produtiva, seguido de Paulo Santana com seis de dois triplos tentados, terminando o quarto inicial na frente por 24-12.

 No segundo período a formação do Kwanza Sul recuperou e, comandados por Luís Costa, reduziu a desvantagem, no final da primeira parte, para quatro pontos.

Com a recuperação, esperava um Libolo melhor que o do primeiro quarto, mas o Petro de Luanda voltou a “pisar” no acelerador e ampliou para 10 pontos no fim do terceiro quarto (58-48).

O Libolo voltou a reaparecer no último período e, a sete minutos do final do encontro, perdia apenas por dois pontos (61-59). 67-62, 68-64, 71-70 foram as parciais, todas a favor do Petro de Luanda, que se seguiram até aos 32 segundos finais.

Com posse de bola, os “petrolíferos” converteram dois pontos por intermédio de Roderick Nealy, num lance muito aplaudido pelos cerca de três mil espectadores. Na resposta, com 15 segundos para jogar, Olímpio Cipriano assistiu Tommie Eddie que falhou o lançamento decisivo e o Petro conquistou os dois pontos, garantido presença na final.

O Libolo defronta quinta-feira o CAB Madeira de Portugal e o vencedor deverá disputar as classificativas para o terceiro e quarto lugar, com o segundo melhor do grupo B, ao passo que o derrotado vai discutir do quinto ao sexto posto, com o terceiro classificado da outra série.

Com arbitragem de Luís Lopes, Sérgio Silva e Artur Castro, as equipas marcaram da seguinte forma:

Petro de Luanda: Yuri Swingue (00), Braulio Morais (00), Roderick Nealy (23), Roberto Fortes (00), Paulo Barros (00), Paulo Santana (16), Miguel Kiala (04), Cedric Ison (14), Simão Santos (01), Divaldo Mbunga (06), Abdel Gomes (00), Carlos Morais (09).

Técnico: Alberto Babo

Libolo: Francisco Sousa (05), José Salvador (09), Idelfonso Kiteculo (00), Olímpio Cipriano (09), Luís Costa (19), Edson Ndoniema (05), Mayzer Alexandre (00), Vlademir Ricardino (11), Abdel Bouckar (02), José Miguel (00), Mutu Fonseca (00), Tommie Eddie (10).

Técnico: Raúl Duarte

Leia também