Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

21 Maio de 2012 | 20h01 - Actualizado em 21 Maio de 2012 | 20h00

Comité Paralímpico Africano existe há 25 anos

Desporto adaptado

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda - Fundada em 1987 na Argélia com a designação de Confederação Africana de Desportos Para Deficientes (ASCOD), o actual Comité Paralímpico Africano (CPA) possui 43 países membros efectivos e movimenta boa parte das modalidades desportivas praticadas no mundo.

Liderada desde a fundação até 2010 pelo egípcio Nabill Salem, a instituição é presidida pelo angolano Leonel da Rocha Pinto, eleito para o cargo em Janeiro de 2010, com base numa candidatura proposta por mais de 80 porcento dos membros.

A vitória é vista como "tábua" de salvação tendo em conta a letargia verificada nos mais de uma década do consulado anterior.

Os filiados alegaram na altura, em carta enviada ao IPC, liderado pelo britânico Filipe Cravem, dualidade de critérios com vantagem para o Norte em detrimento do lado Sul quando se pretende desenvolvimento do desporto adaptado por todo o continente de forma proporcional.

A carta citava como exemplo o facto de grande parte das competições, reuniões e acções formativas realizarem-se em países como o Egipto, Tunísia e Argélia, além da comunicação fluir apenas entre os estados do Magreb.

Leonel Pinto venceu o pleito de Janeiro de 2010 com 19 votos, derrotando o então presidente, o egípcio Nabil Salem (4 votos), e o aspirante Rigbi Khaled, da Líbia (7).

A eleição do angolano visou exactamente a inversão do quadro com base em programas de desenvolvimento abrangentes consubstanciados na formação de formadores, médicos, fisioterapeutas, aposta nos escalões de base, criação de centros de alto rendimento e acordos com governos e instituições internacionais.

Quinta-feira (24) inicia nova etapa da organização quando Angola albergar a Assembleia-geral com recorde de mais de 100 delegados oriundos de 43 países africanos, cujo principal foco será a discussão e aprovação do novo estatuto do órgão.

Mas a corrida para mudanças teve lugar em Abril de 2010 também na cidade de Luanda com a realização da primeira reunião do Comité Executivo e a segunda em 2011 em Joanesburgo (África do Sul).