Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

06 Setembro de 2013 | 16h56 - Actualizado em 06 Setembro de 2013 | 18h28

Características técnicas do Pavilhão Welwitschia Mirabilis

O pavilhão Welwitschia Mirabilis, inaugurado hoje pelo ministro de Estado e Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Edeltrudes Costa, começou a ser construído a 5 de Outubro de 2012, sob responsabilidade da empresa Omatapalo, na zona do bairro Porco Russo, na cidade do Namibe, capital da província com o mesmo tempo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Edeltrudes Costa Chefe da Casa Civil do PR da República quando Inaugurava o pavilhão

Foto: Angop/Namibe

 Welwitschia Mirabilis,uma homenagem a uma planta rara, só existente no deserto do Namibe, tem capacidade para três mil e 72 espectadores, sendo dois mil 892 nas bancadas gerais e os restantes 180 em zonas e lugares específicos.

O recinto tem outros compartimentos como áreas administrativas, posto médico, sala anti-doping, salas de reuniões, espaço para conferências e sala de imprensa, cafetaria, restaurante e unidade de venda entre outros serviços.

Ocupa 1137 metros quadrados e tem três balneários – vestiários para atletas, árbitros e treinadores -, outros três públicos (para homens, mulheres e deficientes), zona de aquecimento e de musculação e dois camarotes distintos (um VIP e outro para entidades oficiais de honra).

No pavilhão foram construídos dois tanques de água com capacidade para 50 mil litros cada, que estão distribuídos para os vários serviços como balneários para atletas, árbitros, treinadores, públicos (para homens, mulheres e pessoas com necessidades especiais).

 

A infra-estrutura reserva uma unidade funcional exclusiva para a comunicação social, com cabines e salas específicas para profissionais de rádio, de televisão e de imprensa.

Ao contrário dos demais pavilhões existentes no país com serviços limitados para a classe jornalística, o multiuso do Namibe contempla para este grupo uma recepção, sala de atendimento e acomodação, área de circulação, sala de reuniões e entrevistas e sala de conferências.

De igual modo reserva uma sala de imprensa e redacção, cabines de reportagem diferentes para Rádio e Televisão, tribunas de imprensa para comentadores e zona de entrevistas rápidas. Inclui ainda uma porta de acesso ao recinto e casas de banho próprios.

Dentre os três mil e 72 lugares para os espectadores, 20 destinam-se a pessoas com necessidades especiais, igual número para os seus acompanhantes, num dos extremos do pavilhão, oposto ao lado onde funcionará o marcador electrónico.

Além disso, estes cidadãos terão locais de acessos e de circulação específicos, assim como balneários exclusivos, quer para homens quer para mulheres.

Leia também
  • 05/11/2018 18:28:57

    Hóquei em patins: Fase do título começa a ser jogada quarta-feira

    Luanda - O jogo entre a Académica de Luanda e a Marinha de Guerra constitui o cartaz das meias-finais do campeonato nacional sénior masculino de hóquei em patins, a ser disputado em playoff, a melhor de três partidas, no pavilhão anexo da Cidadela.

  • 02/11/2018 08:07:02

    Hóquei em patins: Equipa do Lobito próximo das meias-finais

    Luanda - A equipa sénior masculina de hóquei em patins do Hóquei Clube do Lobito, está próxima de garantir a inédita presença nas meias-finais do campeonato nacional.

  • 20/10/2018 23:19:02

    Hóquei em patins: Sexta jornada registada por duas goleadas

    Luanda - A sexta jornada do campeonato nacional sénior masculino de hóquei em patins, fez disputar hoje a sexta jornada que ficou marcada por duas goleadas aplicadas pela Académica de Luanda e 1 º de Agosto.

  • 18/10/2018 05:21:55

    FAP protesta adiamento do africano

    Luanda - A Federação Angolana de Patinagem (FAP) apresentará uma nota de protesto à Confederação Africana indicando insatisfação pelo adiamento "sine die" do Campeonato Africano por parte de Moçambique, inicialmente marcado para de 9 a 11 de Novembro, na cidade de Maputo.