Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

20 Abril de 2014 | 17h19 - Actualizado em 21 Abril de 2014 | 12h17

1º de Agosto rescinde contrato com Daúto Faquirá

Luanda - O 1º de Agosto rescindiu hoje o contrato com o treinador da equipa principal de futebol, Daúto Faquirá, indica a página oficial do clube na internet.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1º de Agosto

Foto: Lucas Neto

Um comunicado publicado no site (www.primeiroagosto.com) informa que a direcção da agremiação, "preocupada com o estado competitivo da equipa principal de futebol, que não tem correspondido aos objectivos traçados pela Direcção para a presente época, rescindiu contrato com o técnico Daúto Faquirá bem como os restantes membros da sua equipa técnica".

Acrescenta que em substituição, foi nomeado o técnico bósnio Dragan Jovic, de 50 anos de idade, integrante, há cerca de três meses, aos quadros da Academia de Futebol do Clube, que será coadjuvado por Nedzad Selimovic, Adman Hodzic, e os ex-internacionais Filipe N'zaza e Napoleão Brandão.


De acordo com a nota, a rescisão do contrato foi assinada pelo Presidente de Direcção General Carlos Hendrick.

A Angop apurou de fonte ligada ao clube central das forças armadas que se tratou de uma rescisão amigável. Acrescentou que em breve será anunciada a data da apresentação do novo treinador.

Esta rescisão ocorreu depois de sábado, os rubro-negros terem vencido em casa do Sporting de Cabinda, por 1-0, para a oitava jornada do Girabola2014, ocupando a sétima posição com 10 pontos na classificação geral.

Faquirá deixa o segundo clube mais titulado do futebol angolano com três vitórias, um empate e quatro derrotas, bem como um saldo nulo em golos (9 marcados e 9 sofridos).

Na liga dos clubes campeões, o técnico luso-moçambicano não foi além da segunda eliminatória.
 

Esta é a terceira "chicotada psicológica" esta época, depois de Ernesto Castanheira (ASA) e Paulo Saraiva (1º de Maio de Benguela).

Leia também