Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

18 Março de 2018 | 14h21 - Actualizado em 18 Março de 2018 | 15h12

Afrotaças: CAF "leva" Gilberto de volta ao Egipto

Luanda - O antigo internacional angolano Gilberto Amaral foi convidado pela Confederação Africana de Futebol (CAF) a participar do sorteio da fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões, quarta-feira no Egipto, confirmou o próprio neste domingo à Angop, em Luanda.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Gilberto - treinador Adjunto do FC Bravos de Maquis

Foto: Clemente

O evento, a ter lugar na terra dos faraós, onde o “canhoto” se tornou célebre pela equipa de futebol do Al Ahly, destacando-se a conquista de três Taças dos Clubes Campeões de África, vai definir o emparceiramento dos dois grupos para a prova africana mais importante de clubes.

De acordo com Gilberto, campeão africano de sub-20, em 2001, o convite deve-se, muito, pelo facto de ser uma referência do futebol africano e já ter conquistado a prova em três ocasiões.

O antigo capitão dos Palancas Negras, angolano mais titulado de sempre, mostra-se feliz pelo reconhecimento, considerando um “bônus” o convite para o evento no Egipto, país onde é idolatrado.

Gilberto pendurou as chuteiras em 2015, numa carreira que começou em 2001 no Petro de Luanda. Depois da conquista do Girabola, na época de estreia como profissional, transferiu-se para o Al-Ahly do Egipto em 2002.

Em sete anos venceu seis campeonatos egípcios, uma supertaça e três Ligas dos Campeões, tornando-se num dos mais bem sucedidos jogadores estrangeiros do campeonato local.

Em 2010 partiu para a Bélgica, onde representou o Lierse, mas foi no Chipre em que voltou a brilhar, conquistando o campeonato cipriota de 2012, ao serviço do AEL Limassol.

O regresso à casa aconteceu em 2013 e para o clube do coração, o Petro de Luanda. Um desentendimento com o treinador brasileiro Alexandre Grasseli precipitou a sua saída para o Benfica de Luanda na época seguinte.

Contudo, seu contributo nos encarnados da capital ficou marcado por uma lesão grave, um traumatismo craniano sofrido a meio do campeonato que o afastou dos relvados durante vários meses e consequentemente motivou o seu abandono prematuro.

Actualmente o antigo médio-volante integra a equipa técnica dos Bravos do Maquis.

Assuntos Futebol   Província » Luanda  

Leia também